domingo, 13 de dezembro de 2009

Reino Unido e França querem imposto global

Parece que a pressão em cima dos países ricos para que assumam a responsabilidade de financiar as ações contra as mudanças climáticas começa a fazer efeito. Não que eles queiram colocar a mão no bolso, mas como revela uma reportagem do jornal britânico The Guardian, na sexta-feira última (11/12), a França e o Reino Unido se uniram para defender um novo regime financeiro chamado Imposto Tobim. A idéia é taxar todas as transações do setor financeiro e levantar 2,4 bilhões de euros por ano para ajudar os países mais pobres do mundo a se adaptarem à elevação dos níveis dos mares, enchentes e fome.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, disseram que Londres e Paris trabalhariam juntos na proposta de um novo impospo global nas transações financeiras, que poderia garantir mecanismos de financiamento inovadores.

A idéia já ganhou apoio da chanceler alemã, Angela Merkel, e, provisioriamente, também de 27 líderes da União Européia. Mas ainda espera parecer do FMI para examinar a viabilidade do novo imposto.

O chefe para o clima das Nações Unidas, Yvo Boer, disse que a proposta é imensamente encorajadora. Ele se referia ao controverso assunto de tranferir dinheiro dos países ricos para os pobres, que, até agora, vem sendo um dos principais pontos de divergências em Copenhague. “Um dos fatores que tem atravancado esse processo é a falta de claridade em como a ajuda financeira no curto prazo será providenciada para os países em desenvolvimento”, disse Boer ao Guardian.
************************************
FONTE : Material produzido e editado pela Envolverde/Mercado Ético/Carbono Brasil/Rebia/Campanha Tic-Tac/EcoAgência, e distribuído para reprodução livre com o apoio da Fundação Amazonas Sustentável. (Envolverde/ )

Nenhum comentário: