quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A vida no lixo

Uma nova pesquisa mostra que a Baía de Guanabara (RJ), apesar das 20 toneladas diárias de esgoto ali despejadas, abriga uma biodiversidade exuberante. O levantamento foi realizado pelo Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), em parceria com 70 profissionais de empresas e universidade fluminenses. A primeira fase da Avaliação ambiental da Baía de Guanabara rendeu o mais extenso diagnóstico do ecossistema. São 1.500 páginas de análises de sedimentos, identificação de compostos químicos despejados na água, inventário ecológico e análise de costões e manguezais, entre outros. O intercâmbio mantido entre a Baía de Guanabara e o Oceano Atlântico explica por que aquele ecossistema, embora tão atacado, permanece vivo. A cada 11 dias, metade da água da baía é "trocada": sai dali rumo ao mar aberto, sendo prontamente substituída por outras correntes.
*************************
FONTE : O Globo, 25/1, Planeta Terra, p.4 a 9.

2 comentários:

Itajubaindependente disse...

Caro James

Estive lendo algumas reportagens sua, uma delas comentas sobre a radio anjo da guarda do mar,gostaria muito saber como posso sintoniza-la ou qual a fonte de informações que voces mais utilizam para saber sobre as condições do mar em nossa região.
Pode me auxiliar? meu email: itajubaindependente@gmail.com

Desde ja agradeço

Mimirabolante disse...

James sempre me perguntava como isso acontecia ?Até como as garças viviam????AgorA JÁ SEI !!!!!!