sábado, 8 de novembro de 2008

BAÍA DE BABITONGA - SC


A Baía de Babitonga situa-se na foz do Rio Palmital e nela se encontram duas importantes cidades: Joinville e a ilha de São Francisco do Sul.São Francisco do Sul é a terceira cidade mais antiga do Brasil e completou 500 anos em 2004. Em 1504, uma expedição financiada por comerciantes franceses da Normadia, comandada por Binot Paulmier de Gonneville, desceu o Atlântico pelo litoral africano, mas perdeu a rota e acabou aportando em "terras desconhecidas".
Durante seis meses conviveram com os hospitaleiros índios Carijós. De volta para a França, Binot levou consigo o filho do Cacique, prometendo devolvê-lo no prazo de vinte luas, depois de ensinar-lhe o uso da artilharia. Para marcar a passagem desta expedição, Binot levantou uma cruz com os seguintes dizeres: "Aqui Binot Paulmier de Gonneville plantou este objeto sagrado, associando em paridade a tribo com a linhagem Normanda". O índio Iça-Mirim nunca mais voltou. Casou-se com uma parenta do capitão e teve quatorze filhos. A linguagem do amor é universal...
O acesso à ilha de São Francisco do Sul pode ser feito de duas formas:

- Por Joinville (acesso pelo Km 33 da BR 101), através de dois ferry-boats: um até a Villa da Glória (um bairro da cidade de São Francisco que fica no continente) e outro até São Francisco do Sul. Este trajeto é mais indicado se você quiser ficar nos hotéis e pousadas da Villa.

- Ou então, pela ponte do canal do Linguado, no trevo de Jaraguá do Sul pela BR 101, que chega direto à ilha.

A Baía da Babitonga já era habitada há mais de três mil anos por caçadores e coletores sambaquianos, os homens do sambaqui. No século XV e XVI se registra a ocupação da baía por grupos tupi-guarani, denominados Carijó, que há algumas centenas de anos antes se sobrepuseram culturalmente àqueles grupamentos sambaquianos ancestrais. Os Carijó por sua vez não resistiram a dominação européia com o início da ocupação portuguesa do litoral sul do Brasil. Sucumbiram pela escravização, guerras, por doenças e mesmo pela acultuação, desaparecendo como cultura autóctone antes do século XVII.

Na margem norte da baía está a localidade de Saí que em 1842 foi palco de uma experiências sociais pioneiras no mundo - o Falanstério do Saí - organizado pelo Dr. Benoît Jules Mure que se baseava nas doutrinas de Charles Fourier e que contava com colonizadores francêses.

Às margens da baía, principalmente a norte, existem resquícios importantes da mata atlântica. A natureza exuberante faz desta região um reduto muito apreciado pelos turistas. Uma balsa faz a ligação da cidade de Joinville com a margem norte. Uma das localidade da margem norte é a Vila da Glória. Existem outras localidades às margens da baía.

A baía da Babitonga (que em língua indígena quer dizer morcego) apresenta um conjunto de 24 ilhas, abaixo relacionadas:

* Ilha Alvarenga
* Ilha dos Araújos de Dentro
* Ilha dos Araújos de Fora
* Ilha dos Araújos do Meio
* Ilha do Baiacú
* Ilha do Chico Pedro
* Ilha das Claras
* Ilha do Corisco
* Ilha do Ferreira
* Ilha das Flores (Santa Catarina)
* Ilha Grande (Santa Catarina)
* Ilha Guaraqueçaba
* Ilha Itaguaçu
* Ilha dos Herdeiros
* Ilha Mandigituba
* Ilha do Maracujá
* Ilha do Mel
* Ilha da Murta
* Ilha dos Negros
* Ilha do Pernambuco
* Ilha Queimadas
* Ilha do Quiriri
* Ilha Redonda
* Ilha da Rita

Vapor Babitonga foi o primeiro meio de transporte maritimo de passageiros e cargas de São Francisco do Sul a Joinville, entrou em operação em 1878, e durante anos foi um importante meio de transporte entra estas localidades.

Um comentário:

marilda reinert disse...

visitamos hoje algumas cidades ao redores da baia. Gostamos muito, pois a natureza ainda NÃO ESTA distruida. Mas a açao do homem sem educaçao esta destruindo aos poucos esta maravilha. Gostaria de ver governos. trabalhando junto com os pescadores e moradores destes locais lutarem por um turismo conciente. Terem mais amor por este patrimonio deixado por DEUS..