sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Coleção ressalta a importância dos insetos para a preservação da vida


FOTO : A pesquisadora da Epagri Janaína Pereira dos Santos organiza as espécies
************************************************
Uma pequena amostra da diversidade dos animais invertebrados está armazenada nas gavetas do Museu Entomológico da Estação Experimental da Epagri de Caçador, no Meio-Oeste do Estado. A coleção contempla mais de 20 mil espécies de insetos e artrópodes. Estudantes de escolas e universidades visitam o local e aprendem sobre a importância dos pequenos invertebrados para a manutenção da vida no planeta.

Borboletas fosforescentes e transparentes, insetos curiosos, como o bicho-pau, que se confunde com o tronco de uma árvore, e a borboleta que parece ter olhos de uma coruja no dorso, besouros centenários e aranhas aterrorizantes fazem parte da coleção. Alguns são tão pequenos, como os ácaros e larvas, que precisam ser observados com uma lupa, por meio das caixas de vidro, onde os invertebrados ficam armazenados. Abelhas, formigas, lagartixas e vespas completam a extensa coleção.

A entomologista (especialista em insetos) Janaína Pereira dos Santos monitora o arquivo e observa quais espécies perderam patas e asas e os substitui por animais que foram coletados recentemente. Há cinco anos, Janaína participa da coleta dos artrópodes e insetos nas dependências da Epagri. Ela vai a campo, observa e recolhe os invertebrados. Depois, leva-os ao congelador para que morram por hipotermia, técnica que não provoca sofrimento no bicho. A seguir, inicia-se a montagem dos animais nas caixas de vidro.

Servem para o controle de pragas nas lavouras

Além de auxiliar nas pesquisas da Epagri para o controle de pragas da lavoura, a coleção tem função didática. Alunos aprendem sobre a importância dos insetos e recebem orientações para reconhecer um animal peçonhento.

– Muitas vezes, os estudantes vêm até aqui pensando que os insetos não servem para nada. Ao contrário, 90% são benéficos ao homem. A falsa ideia surgiu porque os 10%, as pragas, causam sérios prejuízos, como a devastação de lavouras e proliferam doenças – disse a pesquisadora.

Janaína apontou que entre as qualidades dos insetos estão a polinização, o fornecimento de matéria-prima, como o mel e a seda, e a indicação de ambientes poluídos. Além disso, o controle biológico em plantações utiliza animais predadores para combater as pragas da agricultura. As visitas ao museu são gratuitas e devem ser agendadas pelo telefone (49) 3561-2000, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h30min.
****************************************
FONTE : jorn. Francice Cadore (DC)

Nenhum comentário: