quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Manchetes Socioambientais - 27//11/2013


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Amazônia, Cadastro Ambiental Rural, Energia, Estradas, Licenciamento Ambiental, Povos Indígenas
Ano 13
27/11/2013

 

Direto do ISA

 
  Confira o artigo de Flávia Camargo, assessora de Política e Direito Socioambiental do ISA, sobre a implantação do CAR - Blog do PPDS/ISA, 26/11.
  Uma apresentação da dança cariço e quitutes como quinhampira e açaí animaram o evento de lançamento da publicação idealizada pelo ISA e pela Asiba, Barcelos Indígena e Ribeirinha | um perfil socioambiental, no último sábado, 23 de novembro, na praça da cidade - Direto do ISA, 26/11.
   
 

Amazônia

 
  A Suzano Papel e Celulose negocia a compra de florestas pertencentes à Vale no Pará, um negócio estimado pelo mercado em R$ 540 milhões. O Valor apurou que as tratativas, em fase avançada, envolvem cerca de 30 mil hectares no município de Dom Eliseu, próximo à fábrica de celulose da Suzano que está prestes a entrar em operação, em Imperatriz, no Maranhão - Valor Econômico, 27/11, Empresas, p.B5.
   
 

Energia

 
  Sem acordo sobre reajuste, mais de 27 mil funcionários (praticamente todo o efetivo da construção da usina, no Pará) estão de braços cruzados. Os trabalhadores querem aumento de 15%, entre outros benefícios. O Consórcio Construtor Belo Monte ofereceu ontem 11%, mas não houve acordo - FSP, 27/11, Mercado, p.B8.
  A Duke Energy acertou o pagamento de US$ 1 milhão em multas na sexta-feira como parte do primeiro caso criminal do Departamento de Justiça contra uma empresa de energia eólica pela morte de aves protegidas. A Duke admitiu ter violado a Lei do Tratado de Aves Migratórias, uma lei federal que protege aves migratórias. A empresa foi acusada de matar 14 águias-douradas e dezenas de outras aves em dois projetos eólicos em Wyoming desde 2009. No pedido de acordo, a empresa disse que pagaria as multas a vários grupos preservacionistas, incluindo o North American Wetlands Conservation Fund e a Wildlife Foundation. A empresa também terá de montar um plano para impedir as mortes de aves no futuro - OESP, 27/11, Economia, p.B9.
  Os reservatórios entram oficialmente no período chuvoso, a partir da semana que vem, longe do nível-meta fixado pelo próprio governo para garantir uma "folga" na operação do sistema elétrico em 2014. A intenção era terminar o mês de novembro, quando normalmente chega ao fim a temporada de estiagem, com 47% de capacidade nos reservatórios das usinas hidrelétricas do Sudeste/Centro-Oeste e com 35% no Nordeste. Esses níveis, segundo as autoridades do setor, eram capazes de garantir com tranquilidade o abastecimento do país no ano da Copa do Mundo. Até ontem, no entanto, o estoque de água se mantinha abaixo do pretendido - Valor Econômico, 27/11, Brasil, p.A3.
   
 

Licenciamento Ambiental

 
  As licenças ambientais para duplicar as rodovias que serão leiloadas este ano só deverão ser emitidas a partir de meados de 2015, pelas estimativas da Empresa de Planejamento e Logística (EPL). Isso não quer dizer, porém, que os concessionários ficarão de mãos atadas após receber as rodovias. Os Ministérios dos Transportes e do Meio Ambiente chegaram a um entendimento pelo qual será possível emitir autorização para duplicar os trechos de até 25 km que não tenham vegetação, não estejam na Amazônia nem na Mata Atlântica, entre outras condições. De todos os trechos para concessão, apenas a BR-163, no Mato Grosso do Sul, cujo leilão está marcado para 17 de dezembro, passa por área de influência indígena - OESP, 27/11, Economia, p.B5.
  "O Fórum de Meio Ambiente do Setor Elétrico - formado por 19 associações que representam empresas do setor elétrico e que organizou um evento em Brasília para debater o tema, com a presença da ministra do Meio Ambiente - propõe a criação de um 'balcão único' para o licenciamento ambiental de projetos de geração e de transmissão de energia elétrica. No Iphan, trabalham apenas 38 profissionais na área de licenciamento de empreendimentos, dos quais 11 deixarão a função em breve, pois têm contrato temporário. A Funai tem apenas 17 profissionais para essas funções em todo o País. Muitos projetos demoraram para sair do papel por causa de deficiências de gestão do governo, de planos mal elaborados ou de mau gerenciamento. Mas muitos outros atrasam por causa da demora na concessão do licenciamento ambiental", editorial - OESP, 27/11, Notas e Informações, p.A3.
   
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: