sexta-feira, 15 de janeiro de 2016




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Água, Amazônia, Biodiversidade, Clima, Energia, Mineração, Povos Indígenas, Saneamento
Ano 15
15/01/2016

 

Direto do ISA

 
  A decisão, conforme notícia publicada no site do Ministério Público Federal, se deve ao descumprimento da condicionante que determinava a reeestruturação da Funai local para atender aos indígenas afetados pela obra Direto do ISA, 15/1.
  
 

Belo Monte

 
  Os acionistas do Norte Energia, consórcio responsável pela hidrelétrica de Belo Monte, em construção no rio Xingu, no Pará, terão que aportar mais R$ 1,1 bilhão no empreendimento. Os sócios já aportaram R$ 590 milhões em 8 de janeiro e deverão colocar mais R$ 510 milhões, no início de fevereiro. Segundo José Ailton de Lima, diretor da Chesf, uma das acionistas, novos aportes podem ser necessários, caso Belo Monte não consiga negociar a parcela de 20% de sua energia no próximo leilão, marcado para 31 de janeiro. Se vender esse volume, da ordem de 915 megawatts médios, no leilão, o consórcio consegue obter o montante de R$ 2 bilhões de financiamento aprovado pelo BNDES Valor Econômico, 15/1, Empresas, p.B2.
  A Justiça Federal de Altamira (PA) determinou, em 11 de janeiro, a suspensão da Licença de Operação da usina de Belo Monte até que a Norte Energia e o governo brasileiro cumpram a obrigação de reestruturar a Funai na região para atender os índios impactados pelo projeto. Depois de notificado, o Ibama terá prazo de cinco dias para paralisar o enchimento do reservatório OESP, 15/1, Economia, p.B5; O Globo, 15/1, Economia, p.19; FSP, 15/1, Mercado, p.A16.
  
 

Geral

 
  "Os rios brasileiros estão secando -e os organismos governamentais responsáveis pela proteção ambiental são incapazes de impedir a devastação das bacias hidrográficas. As bacias do São Francisco, Paraíba, Tietê, Paraná, Iguaçu e até a bacia Amazônica, estão sendo devastadas pela pecuária e pelas 'plantations' de soja e cana -e pelas serrarias. Para restabelecer o equilíbrio das bacias hidrográficas, as matas que protegem as nascentes dos rios e cobrem suas margens deveriam ser protegidas. No entanto, o governo agrava o problema, ao promulgar um código florestal frouxo, elaborado ao talante da 'bancada ruralista', cujos integrantes não perceberam ainda que as secas provocadas acabarão por inviabilizar as próprias 'plantations' e a pecuária", artigo de Joaquim Francisco de Carvalho Valor Econômico, 15/1, Opinião, p.A10.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: