quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sobre a nota “AÇÕES DE GOVERNO FORTALECEM ZOOBOTANICA”

Sobre a nota “AÇÕES DE GOVERNO FORTALECEM ZOOBOTANICA”, divulgada pela Coordenadoria de Comunicação Social/FZB-RS, a Diretoria da Associação dos Funcionários da Fundação Zoobotânica vem a público fazer os seguintes esclarecimentos.


Entendemos que o esforço e a luta dos funcionários, através da sua Associação (AFFZB), com o apoio do SEMAPI, foram determinantes para que o Governo do Estado autorizasse a elaboração e o encaminhamento de um Plano de Cargos e Salários para a FZB RS. O processo que se encontrava parado e engavetado há seis anos somente veio à tona porque os funcionários tiveram a iniciativa de procurar o GAE, a Casa Civil, o Ministério Público do Trabalho e a Assembleia Legislativa em busca de uma solução. Nesse sentido, consideramos que a implementação do PCS pode ser considerada uma vitória dos funcionários, sem desconsiderar ou desmerecer a atuação de outros personagens em distintos momentos do processo.
Não podemos concordar, contudo, que tenhamos encontrado significativo apoio nos órgãos governamentais durante as reivindicações e as negociações. Sempre foi demonstrado profundo descaso com a FZB, ficando o processo do PCS retido por seis anos, demonstrando a absoluta falta de interesse na implementação do mesmo. Apenas em março de 2010, a poucos dias do final do prazo para envio de projetos à Assembleia, a AFFZB foi comunicada pelo Sindicato que o GAE havia acenado com a possibilidade de trabalhar no PCS da FZB, desde que os funcionários apresentassem uma proposta “enxuta”. A partir disso, passamos a trabalhar às pressas nessa proposta, com um prazo exíguo, impossibilitando que o assunto fosse discutido com a amplitude e a profundidade necessárias e desejáveis.
A proposta final do PCS formulada pelo Governo não contempla muitas das expectativas dos servidores da FZB. Além de a matriz salarial ser baixa, o enquadramento dos funcionários não considerou o tempo de serviço durante o qual muitos funcionários permaneceram sem promoção, pela inexistência, até então, de um plano de carreira na FZB. A revisão dos adicionais de mestrado e doutorado não foi aceita e alguns cargos importantes para a instituição foram colocados no quadro em extinção.
Sem tempo e espaço para mais negociações, restou aos servidores a decisão de aprovar essa proposta ou permanecer sem plano de carreira, aguardando uma conjuntura melhor para negociação. Muito mais em nome da sobrevivência da FZB do que por interesse próprio, a maioria dos servidores presentes à assembléia convocada pela AFFZB optou por aprovar a proposta de PCS, para que, assim, tenhamos a possibilidade de abertura de concurso público que preencha as vagas em aberto e dê algum fôlego à instituição.
Ao contrário do que alguns possam interpretar, a AFFZB não reconhece, nesta Ação de Governo, um ato de prestígio ou valorização da FZB ou de seus funcionários. O PCS aprovado está longe de ser um indicativo de reconhecimento do trabalho realizado na FZB e não resgata a auto-estima nem garante um futuro profissional melhor aos servidores da instituição. Muitos funcionários continuarão a procurar condições melhores em outras instituições devido à defasagem salarial e à falta de perspectiva de crescimento profissional.
Temos grande expectativa de que, em um futuro próximo, possamos revisar esse PCS, buscando soluções efetivas para os problemas da FZB. A Associação dos Funcionários não se furtará dessa luta.

Arlete Ieda Pasqualetto - associação@fzb.rs.gov.br

Nenhum comentário: