terça-feira, 29 de abril de 2014


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Energia, Ferrovias, Mudanças Climáticas, UCs
Ano 14
29/04/2014

 

Direto do ISA

 
  O projeto apresentado ao Desafio de Impacto Social Google | Brasil - Mini Usinas Open Source de produtos da Floresta - está entre os dez finalistas. O anúncio foi feito hoje (29/4) - Direto do ISA, 29/4.
   
 

Unidades de Conservação

 
  Nos quase quatro anos do governo Dilma Rousseff, só três Unidades de Conservação (UCs) foram criadas, contra 81 de FHC e 77 de Lula, e 164 mil hectares foram retirados de áreas protegidas já existentes. A área protegida por Dilma é pouco maior do que a região que será alagada pela Usina de Belo Monte. Além da ínfima ampliação, ambientalistas reclamam da política de redução de UCs e da falta de incentivos para efetivar o desenvolvimento sustentável. Segundo dados do Instituto Socioambiental e do ICMBio, FHC criou 21,5 milhões de hectares (ha) de área preservada e Lula efetivou a proteção de 26,7 milhões de ha. As três UCs assinadas por Dilma, uma no Rio Grande do Norte e duas no Paraná, totalizam somente 44.033 ha - Valor Econômico, 27/4, Brasil, p.7.
 
"Não e nós estamos trabalhando com todo o empenho e dedicação técnica do instituto para apresentar novas propostas de criação ao Ministério do Meio Ambiente. Mas não basta que o ICMBio apresente a proposta. Ela percorre todo um rito, inclusive, envolvendo outros ministérios. Estamos observando um novo padrão, que não reproduza na criação de novas UCs os conflitos verificados em muitas situações do passado recente. Por isso, talvez, esse descompasso em termos comparativos, quando se analisa o que foi o esforço de criação na última década em relação aos últimos anos", diz Roberto Ricardo Vizentin, presidente do ICMBio, em entrevista - CB, 27/4, Brasil, p.7.
   
 

Energia

 
  Após dois meses e meio parada, a Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no Rio Madeira, voltou a funcionar no domingo. Segundo a empresa que detém a concessão da usina, neste momento nove turbinas estão em operação, produzindo 640 megawatts (MW) de energia. A hidrelétrica, de 3.150 MW de potência, parou de funcionar em 17 de fevereiro por causa da cheia histórica que atingiu o Rio Madeira, em Rondônia. Na ocasião, a usina de Jirau pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e à Agência Nacional da Água (ANA) que Santo Antônio abrisse suas comportas para evitar acidentes em sua ensecadeira - estrutura provisória que protege as turbinas enquanto se executa uma obra no local - OESP, 29/5, Economia, p.B5.
   
 

Ferrovias

 
  O Ibama liberou a licença de operação do trecho da Norte-Sul, que liga a cidade de Palmas (TO) a Anápolis (GO). A autorização autoriza a estatal Valec a colocar para funcionar o traçado de 855 km de extensão da ferrovia. Hoje a Norte-Sul só opera no trecho Norte de 719 km de extensão, que liga a cidade de Palmas até Açailândia, no Maranhão, traçado que é usado pela mineradora Vale. O novo trecho da ferrovia terá a sua operação licitada pela Valec, que prevê a atuação do trecho a diversas empresas, e não apenas uma única operadora. A oferta deve ocorrer nos próximos meses, a partir da contratação de um "operador ferroviário independente", a quem caberá prestar serviços a terceiros, interessados em transportar carga - Valor Econômico, 29/4, Brasil, p.A3.
   
 

Mudanças Climáticas

 
  "Só se pode torcer, então, para que negociações paralelas entre americanos e chineses façam emergir um razoável acordo bilateral de descarbonização. Com certeza obteria imediato apoio da União Europeia, além de ter muita chance de não demorar muito para ser assumido pelo G-20. É essa a saída do labirinto que já afetaria, por si só, mais de 80% das emissões globais de carbono, mesmo antes que viesse a ser legitimada na trilha das Nações Unidas. Por isso, as organizações do terceiro setor deveriam concentrar suas energias em ações que possam acelerar possíveis entendimentos entre os governos americano e chinês, em vez de corroborarem para que venha a ter êxito na CoP-15 qualquer estratagema que signifique prorrogação do Protocolo de Kyoto", artigo de José Eli da Veiga - Valor Econômico, 29/4, Opinião, p.21.
   
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: