terça-feira, 28 de outubro de 2014



Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Água, Biodiversidade, Clima, Infraestrutura
Ano 14
28/10/2014

 

Água

 
  Estudo traz mapeamento de ações de curto, médio e longo prazos e de iniciativas propostas por 280 especialistas de 60 munIcípios para enfrentar a crise hídrica sem precedentes que vive o Estado de São Paulo. A Aliança é uma coalizão da sociedade civil que pretende contribuir com a construção de segurança hídrica no estado Blog da Água/ISA, 28/10.
  Criada durante o Encontro Nascentes do Rio Xingu, realizado em Canarana (MT), em 2004, a mobilização é um esforço singular de atores diversos que atuam na região Blog do Xingu/ISA, 27/10.
  Resultado do Encontro das Nascentes, a carta foi assinada por índios, pequenos e grandes produtores, ambientalistas, pesquisadores e lideranças municipais para selar a decisão de união em torno da campanha pela proteção e recuperação das matas ciliares e dos recursos hídricos da Bacia do Xingu Blog do Xingu/ISA, 28/10.
  Duas dezenas de organizações lançam amanhã (29) uma Aliança pela Água de São Paulo. A articulação surge para combater o que avaliam como falta de ação do poder público e erros na administração dos sistemas de produção, sobretudo o Cantareira. Para as ONGs, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) e a Sabesp se omitem e escondem informações. Segundo dados do ISA (Instituto Socioambiental), a retirada do Cantareira na seca sem precedentes da estação chuvosa de 2013/14 foi mantida inalterada por cinco meses, de outubro a fevereiro FSP, 28/10, Cotidiano, p.C4.
  O receio de ficar novamente sem água suficiente para atender 1,1 milhão de habitantes levou Campinas (SP) a pedir um novo aumento no volume liberado do Sistema Cantareira para o Rio Atibaia, que abastece 95% da cidade. A empresa municipal de saneamento, Sanasa, quer mais 1 mil litros por segundo do manancial para impedir uma concentração de poluentes na água que comprometa a captação. Por causa da baixa vazão do Rio Atibaia, Campinas decretou rodízio no abastecimento no dia 10 de outubro. Nesta segunda, 27, o nível dos reservatórios do Cantareira caiu para 13% da capacidade, considerando a segunda cota do volume morto OESP, 28/10, Metrópole, p.A12.
  As aglomerações de pessoas em pontos estratégicos como praças, em Itu, no interior paulista, têm um motivo: a água. Moradores enfrentam filas e disputam vagas diante de torneiras ou mangueiras para encher garrafas, galões e até caixas d'água em bicas e em caixas oferecidas pela prefeitura da cidade. O racionamento de água em Itu já dura nove meses OESP, 28/10, Metrópole, p.A12.
  
 

Clima

 
  A seca em São Paulo deve continuar em 2015, desta vez associada também ao desenvolvimento do fenômeno El Niño, afirmou o secretário-geral adjunto da Organização Mundial de Meteorologia (OMM), Jeremiah Lengoasa. O aquecimento das águas equatoriais do Oceano Pacífico, na altura do Peru e do Equador, provocará a formação de nuvens que tendem a ser arrastadas pelos ventos na direção oeste. Mas não para a América do Sul, explicou o cientista sul-africano. "Já há 70% de chances de o El Niño surgir muito cedo, ainda no final deste ano. Se tiver o mesmo efeito de 97-98, isso será caracterizado por uma imensa seca no mundo", disse OESP, 28/10, Metrópole, p.A12.
  O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC) iniciou ontem, em Copenhague, a confecção de um resumo de suas mais recentes constatações científicas. A premissa de que o aquecimento global trará consequências "graves, generalizadas e irreversíveis para as populações e os ecossistemas" já tem consenso para a síntese. O texto final servirá como base para as negociações políticas da 21ª Conferência das Partes sobre Mudança Climática (COP21), marcada para maio, em Paris OESP, 28/10, Metrópole, p.A12.
  
 

Biodiversidade

 
  O Brasil pode se tornar o primeiro país a criar florestas totalmente transgênicas. A proposta de liberação comercial do eucalipto geneticamente modificado (GM), apresentada à CTNBIO pela FuturaGene, empresa da Suzano Papel e Celulose, causa polêmica. Produtores e exportadores de mel alertam para o perigo de perda do mercado externo. Nada menos do que 35% da produção brasileira de mel vêm do eucalipto e, para ser aceito como orgânico lá fora, não pode apresentar qualquer traço de transgenia. Como o eucalipto exerce grande atração para as abelhas, é dado como certo que abelhas vizinhas a florestas GM produzirão mel com traços transgênicos O Globo, 28/10, Sociedade, p.33.
  Estamos avançando pela era geológica Antropoceno, na qual deverá ocorrer a sexta extinção em massa na história do planeta. Um estudo recente publicado no periódico "Science" concluiu que as espécies existentes no mundo hoje estão desaparecendo em uma velocidade mil vezes maior que o ritmo natural de extinção. Em 2100, entre um terço e metade de todas as espécies da Terra poderá ser extinto. Em consequência, está havendo um aumento nos esforços para proteger espécies, e governos, cientistas e ONGs tentam construir uma versão moderna da Arca de Noé. A nova arca não terá a forma de um grande barco, e sim de uma série de medidas, incluindo migração assistida, bancos de sementes, novas reservas ecológicas e corredores de deslocamento baseados nos possíveis lugares para onde as espécies irão migrar FSP, 28/10, The New York International Weekly, p.4.
  
 

Infraestrutura

 
  A reeleição garantiu à presidente Dilma Rousseff a inauguração de 20 obras do PAC nas áreas de transporte, energia e saneamento. O governo vai conseguir entregar, nos próximos quatro anos, uma série de projetos que já pareciam não ter mais fim, como a Ferrovia Norte-Sul, o complexo de refino Comperj e a transposição do São Francisco. Apenas a usina nuclear de Angra 3 tem previsão de ser entregue no último ano do novo mandato de Dilma, em junho de 2018. Todas as demais obras têm previsão de entrega até, no máximo, dezembro de 2016. Dados atuais do governo sinalizam que esses 20 empreendimentos vão consumir mais de R$ 165 bilhões. A cifra supera em mais de R$ 50 bilhões a previsão inicial de gastos feita há quatro anos OESP, 28/10, Economia, p.B8.
  
 

Nenhum comentário: