quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Papagaios em extinção se reproduzem no Zoo de Curitiba

O nascimento de filhotes de Chauá e de Papagaio-do-peito-roxo, espécies ameaçadas de extinção, é motivo de comemoração no Zoológico Municipal de Curitiba. A chegada dos filhotes é resultado programa de reprodução de papagaios em cativeiro.

No caso do Chauá, o Zoológico de Curitiba é o primeiro no país a conseguir a reprodução da espécie. No Brasil, são quatro as espécies de papagaios ameaçadas de extinção: Chauá, Papagaio-de-peito-roxo, Papagaio-de-cara-roxa e Charão. Apenas o último não consta no programa do Zoológico de Curitiba.

"É uma vitória para a fauna brasileira, resultado do esforço e da dedicação dos técnicos e dos funcionários do Zoológico de Curitiba, que tanto se dedicam à pesquisa e ao trabalho de conservação", diz o secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto.

Nasceram três filhotes de Chauá e três de Papagaio-de-peito-roxo. Os filhotes estão agora com dois meses e começando a sair do ninho. Até os seis meses os eles ficam com os pais.

O projeto de reprodução de Chauás em Curitiba começou em 2006 com a chegada de 21 aves do Espírito Santo. Os animais foram apreendidos pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) numa fiscalização de tráfico de animais silvestres.

Recintos especiais para abrigar os papagaios foram construídos com recursos de um prêmio do recebido pelo Zoológico, por meio do ornitólogo Pedro Scherer, que venceu na categoria "Trabalho em cativeiro com aves", um concurso da Fundação Loro Parque.

Sete recintos recintos para os casais foram construídos na área de isolamento, anexo aos recintos dos Papagaios-de-Peito-Roxo e dos Papagaios-de-Cara-Roxa. Essa última espécie é uma parceria com a organização não governamental Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem.

O diretor do Zoológico, Marcos Traad, atribui o sucesso da reprodução aos cuidados, como alimentação balanceada, ambiente adequado e estudo para formação dos casais. "Os investimentos técnicos e estruturais estão transformando o Zoológico em um centro de fauna silvestre", afirma Traad.

Frutas e castanhas são a base da alimentação dos papagaios. Além das visitas quase que diária de biólogos e de veterinários aos recintos, um funcionário foi destacado especialmente para o acompanhamento dos bichos. Paulo Santana da Silva vai de quatro a seis vezes por dia observar como estão os papagaios. "É nossa obrigação fazer nosso trabalho direito, mas a gente se apega muito aos bichos, principalmente quando é uma espécie que pode desaparecer", diz Silva.

Além dos papagaios, nasceram também no Zoológico de Curitiba três filhotes de Marianinha e de Jacutinga, aves brasileiras que não estão ameaçadas de extinção. A Jacutinga está com os filhotes nos recintos de exposição do Zôo, perto da administração. A Marianhina está no isolamento.
****************************************
FONTE : (Envolverde/Prefeitura Municipal de Curitiba)

Nenhum comentário: