terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

5 cachoeiras brasileiras para conhecer no Carnaval


Bióloga amante das cachoeiras dá as dicas. 
Se você é daqueles que não curte a agitação das escolas de samba nem as praias lotadas, mas também não quer ficar em casa durante o feriadão de Carnaval, as cachoeiras brasileiras são excelentes opções. A bióloga e amante das cachoeiras, Marion Bartolamei, destaca cinco opções de quedas d’água brasileiras para conhecer no Carnaval:
Véu da Noiva (MT)
Para quem curte natureza, a região do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é um prato cheio: cavernas, lagoas e o Circuito das Cachoeiras precisam de mais de um dia para ser conhecidos. Cartão postal da Chapada, a cachoeira Véu da Noiva impressiona com 86 metros de queda livre. Após a entrada do parque é preciso andar cerca de 300 metros até o mirante onde é possível visualizar a cachoeira. E o visual não desaponta. Vegetação deslumbrante, paredões enormes e barulho característico convidam à contemplação. Mais informações aqui.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Cachoeira do Buracão (BA)
Localizada no município de Ibicoara, na Chapada Diamantina, a cachoeira desce pelas rochas e forma uma grande piscina natural, na qual é possível nadar. Para chegar até lá é preciso caminhar por cerca de uma hora acompanhando o leito do rio. Quando se atinge o cânion, onde é possível ver a queda d’água por cima, pode-se atravessar por uma ponte, andando por caminhos bem estreitos ou descer nadando. Não importa a forma, o atrativo vale a pena. Mais informações aqui.
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Cachoeira Almécegas (GO)
Essa cachoeira, na verdade, são duas. As Almécegas I e II localizam-se entre os municípios de Alto Paraíso e São Jorge, dentro da Chapada dos Veadeiros. Nesse caso, é preciso pagar uma taxa de R$15 para entrar na Fazenda São Bento. Do portão de entrada até o início da trilha são aproximadamente três quilômetros. A trilha é bem sinalizada e possui 1,5 km até Almécegas I. A queda de 45 metros é lindíssima e, para os amantes de rapel, é uma oportunidade imperdível de praticar o esporte. Já para chegar até Almécegas II são cerca de 400 a partir do estacionamento. Ali, o visitante encontra uma queda menor (de 15 metros), mas pode entrar na água e se refrescar. Mais informações aqui.
Foto: Pedro Alves
Foto: Pedro Alves

Salto Morato (PR)
A Reserva Natural Salto Morato esconde a maior queda d’água dessa lista. Com 100 metros, o Salto Morato está localizado no litoral do Paraná e esconde paisagens preservadas e cenários lindíssimos. A partir do Centro de Visitantes, a trilha de 1,5 km é leve e bem sinalizada. Os últimos 600 metros são de subida que, aos poucos, vão desvendando uma cachoeira belíssima e impressionante. Também é possível nadar com os peixes em um aquário natural de água cristalina. Imperdível! A reserva oferece estrutura de banheiros, lanchonete e é bem organizada. A entrada custa R$10. Mais informações aqui.
Foto: Haroldo Palo Jr
Foto: Haroldo Palo Jr

Cachoeiras da Estância Mimosa (MS)
Fechando essa (pequena) lista estão as oito cachoeiras da Estância Mimosa – Água Doce, Sol, Salto, Desejo, Saí-Andorinha, Mutum, Surucuá e Sinhozinho – localizada em Bonito. Conhecida mais pelos passeios de flutuação em rios, a cidade está cheia de oportunidades para os amantes das quedas d’água. Na Estância é preciso contratar os pacotes para fazer os passeios (existem várias opções, sendo que algumas não visitam todas as cachoeiras), pois não é permitido andar nas trilhas sem guia. As cachoeiras variam de tamanho, mas são todas belíssimas com direito a ‘hidromassagem natural’ na Cachoeira Saí-Andorinha. Mais informações aqui.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Enfim, boas opções não faltam. Agora, basta decidir para onde ir, arrumar a mochila e cair na estrada… e na água! (#Envolverde)

Nenhum comentário: