quinta-feira, 29 de maio de 2014


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Água, Agropecuária, Energia, Lixo, Mata Atlântica, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas
Ano 14
29/05/2014

 

Direto do ISA

 
  Henrique Alves garantiu que proposta que transfere do Executivo para o Legislativo a atribuição de aprovar a demarcação de Terras Indígenas não será colocada em votação sem a concordância dos setores envolvidos no assunto - Direto do ISA, 29/5.
  Segundo Comitê, quatro mil pessoas participaram da passeata que parou o centro de Brasília, na tarde de ontem. Pelo menos oito ficaram feridas, entre eles seis indígenas, e três foram presas, mas já estão soltas - Direto do ISA, 28/5.
  A 9ª edição do Abraço à Guarapiranga pretende mobilizar e alertar a população, empresas, governos e sociedade civil para a urgência de ações concretas para preservação dos mananciais e uso racional de água em São Paulo. Divulgue e participe! - Direto do ISA, 28/5.
  Rede de ONGs da Mata Atlântica e a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica divulgam carta em que apresentam dez ações fundamentais e emergentes para reversão das degradações e proteção do bioma mais ameaçado do Planeta - Blog do ISA, 28/5.
   
 

Água

 
  Centenas de canteiros de obras foram espalhados pelo país para melhorar o saneamento básico brasileiro. Mas, dos 219 empreendimentos aprovados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 1 e 2, 47 foram concluídos, 43 estão dentro do cronograma do governo, e outros 119 (54,3%) estão em situação inadequada - atrasadas, paralisadas, em fase de contratação ou até mesmo não iniciadas. Os dados são do monitoramento "De Olho no PAC", feito pelo Instituto Trata Brasil, que analisa somente as obras de saneamento realizadas em cidades com mais de 500 mil habitantes. Desde 2009 o instituto monitora as obras de esgotos pelo país e, neste último balanço, passou a verificar as obras de água - O Globo, 29/5, País, p.7.
  O diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, negou ontem que haja racionamento de água na Grande São Paulo e disse que se a crise de estiagem do Sistema Cantareira se agravar vai "distribuir água com canequinha" aos moradores atendidos pela concessionária. "Nós já economizamos a retirada do Cantareira em 9 mil litros por segundo. Para obter o mesmo resultado seria necessário implantar rodízio de um dia e meio com água e cinco dias sem água. Se houver alguma crise maior, nós vamos distribuir água com canequinha", disse Massato. Para ele, os problemas de abastecimento se devem apenas à seca atípica do verão passado - OESP, 29/5, Metrópole, p.A23; FSP, 29/5, Cotidiano, p.C5.
  O Ministério Público Federal em Campos de Goytacazes está movendo ação civil pública contra o Estado de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), a União, a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Ibama, no sentido de impedir que sejam feitas obras de transposição do Rio Paraíba do Sul para o Cantareira. Campos, no norte fluminense, é uma das 184 cidades da área da bacia do rio. O temor é que o governo de São Paulo obtenha uma autorização do Ibama e da ANA para as obras, sem que antes sejam realizados estudos pormenorizados de impacto ambiental e antes de o assunto ser debatido com os Estados do Rio e de Minas Gerais, que poderiam sofrer de falta d'água - OESP, 29/5, Metrópole, p.A23; O Globo, 29/5, Rio, p.14.
  "Todo esse introito para que se possa começar a dizer do incômodo de cada habitante desta cidade com essa notícia de que está condenado a beber do 'volume morto' do Sistema Cantareira. 'Volume morto' é de matar. Os especialistas explicam que se trata de uma água que requer tratamentos muito mais complexos para chegar até a casa dos comuns, posto que teria permanecido por muito tempo em pontos mais abissais (o adjetivo não é bom), em fossas (a palavra é péssima) submersas e, portanto, estaria bem mais suja do que as águas mais superficiais. Piores ainda são as discussões a respeito dos danos ecológicos que seriam causados pelo esvaziamento do tal 'volume morto'. Os debates aprofundam o sentimento de culpa dos fregueses da Sabesp - não a culpa da Sabesp, é claro, já que a Sabesp, como temos visto na televisão, em caudalosos comerciais, não tem culpa de nada", artigo de Eugênio Bucci - OESP, 29/5, Espaço Aberto, p.A2.
   
 

Energia

 
  Donos de usinas termoelétricas que abastecem Manaus decidiram cobrar na Justiça a estatal Eletrobrás Amazonas Energia pela falta de pagamento. Há cinco meses sem receber pela energia gerada, as empresas ameaçam parar de produzir por incapacidade financeira e falta de materiais para operação e manutenção das usinas. Isso significa deixar a capital do Amazonas e cerca de 460 mil consumidores às escuras - OESP, 29/5, Economia, p.B9.
  A presidente Dilma Rousseff assinou ontem medida provisória que determina o aumento da mistura do biodiesel ao diesel de 5% para 6% a partir de 1o de julho. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, destacou que o Brasil reduzirá a importação de diesel em 1,2 bilhão de litros ao ano. Segundo ele, a ampliação do teor de biodiesel possibilitará a redução da emissão de 23 milhões de toneladas gás carbônico até 2020, contribuindo para o país atingir as metas previstas na política nacional sobre mudança do clima - OESP, 29/5, Economia, p.B9; FSP, 29/5, Mercado, p.B9; O Globo, 29/5, Economia, p.23.
   
 

Mudanças Climáticas

 
  Pela primeira vez em cerca de 2 milhões de anos, o mar de gelo derretido do Ártico está conectando o Norte dos oceanos Atlântico e Pacífico. As novas ligações deixam as costas do Ártico vulneráveis a um grande trânsito de espécies que podem se deslocar por aquela região, segundo um estudo de biólogos do Centro Smithsonian de Pesquisa Ambiental. Navios comerciais podem levar inadvertidamente essas espécies invasoras para o local. Agora que a mudança climática abriu às embarcações uma rota nova e mais curta para atravessar o espaço entre os oceanos, a presença destas novas espécies vem aumentando - O Globo, 29/5, Sociedade, p.26.
  Um novo estudo descobriu que o manto de gelo da Antártica começou a derreter cerca de 5 mil anos antes do que se pensava ser o final da última era glacial - e que o encolhimento da vasta camada de gelo foi acelerada durante oito episódios distintos, fazendo com que o nível do mar subisse rapidamente. A pesquisa vem na esteira de trabalhos recentes que sugerem a desestabilização de parte da camada de gelo da Antártida Ocidental. Os resultados estão sendo divulgados nesta semana na "Nature" - O Globo, 29/5, Sociedade, p.26.
   
 

Geral

 
  O Estado e a Federação do Comércio de São Paulo realizaram ontem o seminário "Soluções para o lixo: você, sua empresa e sua cidade estão preparados para cumprir a nova lei de resíduos sólidos?". Algumas metas vencem no início de agosto e muitas estão longe de serem cumpridas, em especial a destinação somente de resíduos em aterros sanitários. Durante o seminário, foi apontado que um dos principais gargalos é a logística reversa, que coloca nas mãos de fabricantes, distribuidores e comerciantes a responsabilidade pelo retorno do produto após o seu consumo - OESP, 29/5, Metrópole, p.A24 e A25.
  Representantes dos indígenas que participaram de um protesto anteontem em Brasília defenderam o uso do arco e flecha em manifestações. Para eles, os instrumentos devem ser encarados não como arma branca, mas dentro de um contexto cultural, de identidade indígena. A Polícia Militar, por outro lado, manifestou que se trata, sim, de uma arma branca. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, evitou a polêmica e limitou-se a dizer que cada caso deve ser analisado separadamente. - O Globo, 29/5, País, p.4.
  "Ao contrário do que alardeia a corrente que se opõe ao avanço agrícola do país, a agricultura brasileira tem dado enorme contribuição nos últimos anos para reduzir os impactos das mudanças climáticas. As estatísticas comprovam que a expansão da agricultura brasileira se deu em bases sustentáveis. Nos últimos 25 anos, a área plantada se expandiu 63% enquanto a produção de alimentos aumentou 230%. Como a agricultura brasileira alcançou esse invejável desempenho? Com aumento de produtividade, claro, somando à fertilidade da terra, à abundância de água e à intensidade do sol pesados investimentos em tecnologia, pesquisa e inovação, feitos tanto pelo setor público como privado", artigo de Moreira Mendes - FSP, 29/5, Tendências/Debates, p.A3.
   
 

Nenhum comentário: