quinta-feira, 25 de junho de 2009

IRLANDA DÁ O EXEMPLO !


A lei irlandesa que, de modo pioneiro, baniu o fumo de todos os estabelecimentos comerciais do país conquistou grande apoio entre a opinião pública.

Leia abaixo o texto :

"Esperava-se que a proibição do cigarro em restaurantes, bares e locais de
trabalho, decretada há exatamente um ano, encontrasse grande resistência em
um país onde a cultura de frequentar pubs para beber e fumar é bastante
arraigada.

Ao invés disso, a presença de pessoas do lado de fora dos pubs fumando
tornou-se algo tão comum quanto uma caneca de Guinness.

"O apoio da população a essa medida é extremamente alto e aumentou desde a
introdução dela, mesmo entre os fumantes. Isso supera todas as nossas
expectativas", disse o grupo ASH, que combate o fumo.

Os números de uma pesquisa independente realizada no começo do mês para a
Agência de Controle do Tabaco, ligada ao governo, mostram que 93 por cento
dos irlandeses acham a proibição uma boa idéia.

Leis semelhantes já haviam sido impostas antes em cidades e Estados, como em
Nova York e na Califórnia (nos EUA), mas a Irlanda foi o primeiro país a
aprovar uma proibição nacional. Alguns outros países, entre os quais Malta,
a Noruega e a Itália, seguiram o exemplo irlandês desde então.

"Como se esperava, as previsões catastrofistas, como a que falou no
desaparecimento de 60 mil postos de trabalho, não se verificaram. E nem as
que previam o fechamento de um grande número de estabelecimentos", disse
Luke Clancy, presidente do ramo irlandês do ASH.

Mas, segundo proprietários de pubs, alguns estabelecimentos viram-se
obrigados a fechar as portas por causa da proibição, e isso especialmente na
zona rural.

"Apenas no condado de Clare, 26 pubs faliram nos últimos 12 meses", disse
Seamus O'Donoghue, presidente da Federação de Vinicultores da Irlanda.

A federação defende uma alteração na lei a fim de que fumantes e
não-fumantes possam frequentar os mesmos bares. Em alguns países, o fumo é
permitido em áreas fechadas dentro de pubs e restaurantes."

Nenhum comentário: