terça-feira, 21 de setembro de 2010

ONU quer medidas contra armas químicas e biológicas

Presidente do Grupo de Trabalho sobre Prevenção e Resposta a Armas de Destruição e Ataques em Massa disse que muitos países não estão preparados para uma emergência.

As Nações Unidas pediram à comunidade internacional que melhore suas medidas de proteção a ameaças com armas químicas e biológicas.

A recomendação foi feita pelo chefe do grupo de trabalho da ONU sobre o tema, Geoffrey Shaw.

Recursos

Segundo ele, muitos países-membros da ONU têm recursos para lidar com incidentes nucleares e radiológicos, mas o mesmo não se dá para o caso de emergências com armas químicas e biológicas.

Os sistemas de proteção foram acionados após o desastre da usina nuclear de Chernobil em 1986.

Shaw informou que o sistema de resposta a emergências nucleares é coordenado pela Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea.

Convenção

Mas segundo o especialista, muitos países e organizações da sociedade civil ainda não estão familiarizados com o sistema.

Geoffrey Shaw informou que o atraso na preparação de uma resposta a ataques biológicos deve-se em parte à recente entrada em vigor da Organização para a Proibição de Armas Químicas.

O órgão foi criado em 1997 para monitorar o cumprimento da convenção sobre o assunto.

O especialista alertou que o avanço da indústria da biotecnologia, nos últimos anos, cria desafios urgentes para os líderes mundiais.

Para ouvir esta notícia clique: http://downloads.unmultimedia.org/radio/pt/real/2010/10092014i.rm ou acesse: http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/detail/185044.html
**********************************
FONTE : Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York. (Envolverde/Rádio ONU).

Nenhum comentário: