terça-feira, 27 de outubro de 2015

Baleia-branca morre por estar em cativeiro

27 de outubro de 2015 

(da Redação da ANDA)
Baleia Maris. Foto: AP
Baleia Maris. Foto: AP
A beluga Maris, uma das primeiras de sua espécie a chegar no Georgia Aquarium, morreu na última semana. Ativistas do PETA alertam sobre a manutenção de animais em cativeiro.
Segundo o chefe veterinário do aquário Gregory Bossart, a baleia fêmea, que tinha 21 anos, morreu de repente na quinta-feira (22) à tarde.
Em um comunicado à imprensa, Bossart afirmou que Maris não apresentava sinais de doença, comia normalmente e interagia bem com outras duas belugas do aquário, Grayson e Qinu.
Maris com outras baleias. Foto: AP.
Maris com outras baleias. Foto: AP.
De acordo com o Daily Mail, patologistas da Universidade de Georgia e do aquário estão realizando uma necropsia em Maris, que nasceu em 1994 no New York Aquarium. Ela chegou ao Aquário da Geórgia em 2005.
Autoridades dizem que os resultados devem ser disponibilizados nas próximas semanas, mas ativistas de direitos animais acreditam que Maris morreu por não poder viver em seu habitat natural.
“Durante toda a sua vida, a liberdade de Maris lhe foi negada. Ela foi transferida de um local para outro e seus bebês morreram, um após o outro “, afirmou a vice-presidente sênior do PETA Lisa Lange, em um comunicado.
“Se ela tinha ou não uma doença física que passou despercebida, ela foi morta pelo cativeiro, pura e simplesmente”, Lange acrescentou.
Ativistas postaram no Twitter seus pensamentos sobre a morte prematura Maris.
2DB600EF00000578-3286791-image-a-41_1445629376758
“Muitas vezes, as baleias em cativeiro estão muito deprimidas para cuidar e podem até querer que seus filhos morram em vez de viverem privados de toda a alegria e de uma vida”, twittou PETA.
Há uma semana, uma bióloga marinha visitar afirma ter testemunhado uma mãe orca em cativeiro muito deprimida para alimentar seu filhote durante uma viagem para o SeaWorld San Diego.
No início deste mês, a Comissão Costeira da Califórnia proibiu SeaWorld de reproduzir orcas em cativeiro, em San Diego.
Nota da Redação: Como nós, os animais nasceram para viver livremente. Manter um animal engaiolado é um dos crimes mais cruéis do ponto de vista ético. Infelizmente as leis ainda permitem que animais marinhos sejam aprisionados apenas para satisfazer a ganância e os desejos inconscientes e cruéis de algumas pessoas. Não podemos mais aceitar calados este tipo de prática como também todas as outras que tratam os animais apenas como mercadoria ou objeto de decoração. As leis precisam avançar e proibir qualquer forma de manutenção de animais em cativeiro.

    Nenhum comentário: