sexta-feira, 20 de março de 2009

Água Inteligente


A água é o sangue do nosso planeta. Das inúmeras plantas e animais que vivem nos oceanos até as espécies terrestres que bebem água dos rios, lagos e córregos, todas as formas de vida conhecidas precisam de água para sobreviver. A água representa dois terços da superfície da terra e 75% do corpo humano.

Os humanos, por sua vez, têm uma relação ainda mais peculiar e complicada com a água. Nós usamos e dependemos dela muito mais do que para nossa pura sobrevivência. Nós bebemos, tomamos banho, pescamos, regamos nossas hortas, transportamos pessoas e produtos pelos rios e mares e usamos a água também para gerar energia, produzir remédios e desenvolver incontáveis tipos de coisas. A água é parte integral de praticamente todas as atividades humanas.

De fato, cada vez que um bem é comprado ou vendido, existe uma "troca virtual" de água. Por exemplo, segundo estimativas, são necessários 246 litros de água para produzir um quilograma de batatas. São necessários 10.855 litros para fazer uma calça jeans. E 378.500 litros para fabricar um carro de porte médio.

A verdade é que a espécie humana sobrevive consumindo muita água, mas conhece muito pouco sobre nossos sistemas hídricos. Nós sempre soubemos onde encontrar e como usar este bem, mas nunca compreendemos como preservar ou sustentar estes sistemas. Nunca aprendemos a gerenciar de maneira eficiente toda a água existente no nosso planeta. Mas daqui para frente, não teremos mais como ignorar isso.

Até o final de 2050, quando a população mundial deve passar de 9,4 bilhões de pessoas, é provável que a água se torne uma das mais escassas e mais valiosas commodities do mundo.

O Planeta Terra tem água suficiente para atender às necessidades da humanidade. Há 2 trilhões de litros de água potável disponível para cada pessoa no mundo. E cada um de nós só precisa de menos de 3 litros por dia. Dessa forma, o nosso problema não é a falta de água. A questão é que nós - indivíduos, governos e empresas - não sabemos gerenciar o uso da água de forma eficiente. O Rio de Janeiro, por exemplo, tem reservas abundantes de água potável, mas sofre com os desafios de infraestrutura, principalmente nas favelas e comunidades mais carentes.

Sabemos que não é possível gerenciar o que não se pode medir. Recursos hídricos são pouco entendidos e certamente esse é um dos principais fatores que fazem com que sejam mal-gerenciados. São necessários mais dados para entender completamente como a água é utilizada pela indústria, agricultura e indivíduos. Pesquisadores, governantes e líderes empresariais estão buscando cada vez mais estudos e informações atualizadas sobre este tema. Alguns estão procurando técnicas avançadas de conservação de água; outros estão estudando como filtrar e tratar água não potável de forma adequada para o uso pessoal e industrial, por exemplo.

A questão da água é bem complexa. Ela está relacionada a uma série de desafios locais e regionais que se sobrepõem a outros assuntos interdependentes como economia, comportamentos sociais e geografia. Nesse contexto, aumentar o nível de conscientização sobre o uso eficiente é muito importante. Para isso, é preciso que cada indivíduo entenda sua ligação pessoal com a água e a “troca virtual” que existe em cada interação que se estabelece.

O mundo não precisa de mais água. Nós é que precisamos aprender a usar e preservar de forma mais inteligente toda a água que já temos disponível no planeta. Temos de viver, todos os dias, de forma mais responsável, observando nosso papel nessa questão essencial à nossa sobrevivência. Hoje, Dia Mundial da Água, é um bom momento para começarmos a refletir sobre esta questão.
*******************************************

FONTE : Mauro D’Angelo é diretor de estratégia da IBM Brasil (Envolverde/IBM Brasil)

Nenhum comentário: