quarta-feira, 23 de março de 2016

Por dentro do relatório mundial hídrico de 2016

Uma moradora de Ngangarithi, no Quênia, rega seus cultivos com água das zonas úmidas. Foto: Miriam Gathigah/IPS
Uma moradora de Ngangarithi, no Quênia, rega seus cultivos com água das zonas úmidas. Foto: Miriam Gathigah/IPS
A água é um fator chave no desenvolvimento de oportunidades de emprego em setores cuja demanda hídrica é forte como agricultura e energia.
Por Elisa Homem de Mello*
A Organização Mundial das Nações Unidas para Agua (ONU Água) divulgou hoje o Relatório de Desenvolvimento Mundial da Água, em Genebra, na Suíça, durante as celebrações do Dia Mundial da Água. O relatório sugere conteúdo e base para o debate ao longo do ano sobre o tema “Água e Trabalho”.
Com base nos estudos levantados, três em cada quatro dos postos de trabalho em todo o mundo dependem da água. Na verdade, a escassez de água e a falta de acesso podem limitar o crescimento econômico nos próximos anos, de acordo com o Relatório.
Desde a sua recolha, através de vários usos, ao seu retorno final para o meio ambiente natural, a água é um fator chave no desenvolvimento de oportunidades de emprego, quer diretamente relacionados com a sua gestão (abastecimento, infraestrutura, tratamento de águas residuais etc) ou em setores econômicos cuja demanda hídrica é forte, como a agricultura, pesca, energia, indústria e saúde dependentes de água. Além disso, o bom acesso à água potável e ao saneamento promove uma força de trabalho instruída e saudável, o que constitui um fator essencial para o crescimento econômico sustentável.
Na sua análise de impacto econômico do acesso à água, o relatório cita numerosos estudos que mostram uma correlação positiva entre os investimentos no setor hídrico e do crescimento econômico. Ele também destaca o papel fundamental da água na transição para uma economia verde.
Em 2015, um encontro de experiências pioneiras e inovadoras de iniciativas sociais na gestão hídrica reuniu, pela primeira vez, ações bem sucedidas que receberam o prêmio “Water for Life”, concedido pela iniciativa Década da Água, da ONU Água, – mecanismo de coordenação do tema água dentro das 30 organizações que compõem a ONU.
Aqui no Brasil, o exemplo vencedor deste prêmio, por ações em prol da sustentabilidade hídrica, foi o Programa Cultivando Água Boa (CAB), implantado em 2003, na região da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná 3. O CAB promove a gestão por bacia hidrográfica (atua por bacias, sub-bacias e microbacias hidrográficas) de forma integral e integrada com abordagem sistêmica com amplo processo participativo, de cidadania e de responsabilidade compartilhada. (#Envolverde)
* Elisa Homem de Mello é jornalista especializada em sustentabilidade hídrica e energética. Escreve voluntariamente para Envolverde. 

Nenhum comentário: