quarta-feira, 23 de março de 2016

Exposição “Water Stories” é inaugurada em Londres 

A relação entre os moradores e os rios do Pantanal é tema da exposição. Foto:  © Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil
A relação entre os moradores e os rios do Pantanal é tema da exposição. Foto:
© Mustafah Abdulaziz/WWF-Brasil
A relação do homem com a água, as belezas e os problemas ambientais do Pantanal são tema da exposição “Water Stories” inaugurada nesta terça-feira, dia 22 de março, no The Scoop, em More London Riverside, em Londres.
Por Redação do WWF Brasil –
As imagens são resultado do trabalho do premiado fotógrafo norte-americano Mustafah Abdulaziz, que esteve em outubro de 2015 no Mato Grosso para retratar o trabalho do WWF-Brasil na área das Cabeceiras do Pantanal – local onde nascem 30% das águas que alimentam a planície e a biodiversidade pantaneira e garantem o abastecimento de municípios onde vivem e trabalham pelo menos três milhões de pessoas.
Desde 2012, o WWF-Brasil trabalha na conservação e recuperação de rios e nascentes das Cabeceiras do Pantanal. Em 2015 foi lançado o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, iniciativa que tem por objetivo conservar mais de 700 quilômetros de rios e recuperar pelo menos 50 nascentes de uma área percorrida pelo rio Paraguai e afluentes como Sepotuba, Cabaçal e Jauru.
Em “Water Stories”, o fotógrafo retratou o trabalho realizado pela rede WWF em cinco bacias hidrográficas: do rio Paraguai (Pantanal); Yangtze, na China; Ganges, na Índia, Mekong, que percorre parte da China, Laos, Tailândia, Camboja e Vietnã; Ruaha e Mara, no Quênia e Tanzânia. Essas iniciativas, contaram com o apoio do Programa HSBC pela Água que destinou US$ 100 milhões em cinco anos. As ações devem beneficiar um milhão de pessoas ao redor do mundo.
Abdulaziz vive atualmente em Berlim, mas desde 2011 trabalha no projeto “Water”, percorrendo o planeta para retratar imagens relacionadas à conservação da água, sua importância para os seres humanos e situações de crise hídrica. Seu projeto recebe apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), WaterAid e VSCO (Empresa de tecnologia e filmes fotográficos). Em 2012 foi eleito como uma das melhores promessas da fotografia, pela revista Photo District News (PDN), e em 2015 foi o vencedor do prêmio Syngenta de melhor fotografia.
“Retratar o Brasil neste momento é muito importante porque temos de um lado São Paulo que está enfrentando a pior crise de escassez de água de sua história e, por outro um estado que tem água em abundância como o Mato Grosso, mas que se não começar a cuidar de seus rios e nascentes poderá sofrer crises hídricas no futuro próximo”, diz Abdulaziz. “Essa exposição fotográfica vai servir como alerta para que todos entendam a necessidade de cuidar das águas mesmo que aparentemente elas sejam fartas”, completa.
Serviço
Local: The Scoop, em More London Riverside, em Londres
Data: de 22 de março a 10 de aabril
O Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal
A iniciativa foi idealizada pelo WWF-Brasil em 2012, quando um estudo – realizado em parceria com o HSBC, a The Nature Conservancy (TNC), o Centro de Pesquisas do Pantanal, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e a Carterpillar – mostrou que a área das Cabeceiras estava em alto risco ecológico.
O Pacto é uma aliança entre o governo do estado e 25 prefeituras de Mato Grosso, empresas e a sociedade civil organizada. Ao aderir, voluntariamente, cada instituição opta por implementar em seu município pelo menos três ações que preservem as nascentes e os rios, como, a recuperação de áreas degradadas, recuperação de nascentes, recuperação de matas ciliares, melhoria da qualidade da água dos rios, adequação ambiental de estradas rurais e estaduais, melhoria do saneamento básico ou até mesmo a troca de experiências de educação ambiental existentes na região
A região das Cabeceiras do Pantanal abrange 25 municípios do Mato Grosso, sendo eles: Alto Paraguai, Araputanga, Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Curvelândia, Denise, Diamantino, Figueirópolis D´Oeste, Glória D´Oeste, Indiavaí, Jauru, Lambari D’Oeste, Mirassol D’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Porto Esperidião, Porto Estrela, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Santo Afonso, São José dos Quatro Marcos, Salto do Céu e Tangará da Serra. (WWF Brasil/ #Envolverde)
* Publicado originalmente no site WWF Brasil.

Nenhum comentário: