quinta-feira, 31 de março de 2016

Alimentos desperdiçados na América Latina e Caribe poderiam alimentar 37% das pessoas que passam fome em todo o mundo

Publicado em março 31, 2016 
Reduzir o desperdício na AL “chave” para desenvolvimento sustentável
Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, com os alimentos perdidos na região da América Latina e Caribe seria possível alimentar 37% das pessoas que passam fome em todo o mundo.

feira
Foto: FAO/Olivier Asselin

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.
Na América Latina são perdidas ou desperdiçadas até 348 mil toneladas de alimentos por dia, cifra que terá de ser reduzida à metade nos próximos 14 anos se a região quiser alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.
O alerta foi feito nesta quarta-feira pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, FAO.
Metas
O terceiro boletim “Perdas e Desperdícios de Alimentos na América Latina e no Caribe” da agência da ONU destaca o ODS 12, centrado na necessidade de assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.
Este objetivo inclui a meta de reduzir à metade até 2030 o desperdício mundial de alimentos nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento.
Necessidades Calóricas
Segundo a FAO, 36 milhões de pessoas na região poderiam cobrir suas necessidades calóricas apenas com alimentos perdidos nos pontos de venda diretos aos consumidores.
O número representaria pouco mais que a população do Peru e mais do que todas as pessoas que passam fome na região.
A FAO e outras agências parceiras estão atualmente elaborando o Índice Global de Perdas e Desperdícios de Alimentos, que será essencial para que todos os países quantifiquem suas perdas e definam estratégias para alcançar o ODS 12.
Mobilização
De acordo com a FAO, 127 milhões de toneladas de alimentos, ou 223 quilos por cada habitante da região, são a quantidade total de perdas e desperdícios da região.
Estes alimentos seriam suficientes para satisfazer as necessidades alimentícias de 300 milhões de pessoas, 37% de todas as pessoas que passam fome no mundo.
No entanto, a região está trabalhando para reduzir esse número. Com apoio da FAO, no passado governo estabeleceram uma Rede de Especialistas, uma Estratégia Regional e uma Aliança Regional para a Prevenção e Redução de Perdas e Desperdícios de Alimentos.
Luta Contra a Fome
Na Costa Rica e na República Dominicana foram criados Comitês Nacionais dedicados ao tema. Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e Uruguai estão entre os países discutindo iniciativas semelhantes.
Ainda segundo a FAO, a luta contra o desperdício alimentar também é parte do principal acordo contra a fome na região, o Plano de Segurança Alimentar, Nutrição e Erradicação da Fome da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e do Caribe, Celac.
A iniciativa considera a eliminação das perdas e desperdícios como uma condição fundamental para acabar com a fome até 2025.
in EcoDebate, 31/03/2016

Nenhum comentário: