quinta-feira, 2 de março de 2017




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Agroecologia, Amazônia, Biodiversidade, Energia, Povos Indígenas, Quilombolas, Saneamento, UCs, Antropoceno
Ano 17
02/03/2017

 

Quilombolas

 
  Está no ar o primeiro episódio da websérie Ribeira Essencial, que acompanha a imersão do designer Marcelo Rosenbaum e seus alunos no quilombo Ivaporunduva, no Vale do Ribeira. Faça parte desta descoberta e apoie os quilombos na luta pela terra! Direto do ISA, 2/3.
  A luta pela terra ganha nova estratégia a menos de 200 quilômetros de São Paulo, no esforço de reconhecer e titular territórios de 86 comunidades quilombolas que vivem no Vale do Ribeira, em área considerada patrimônio da humanidade pela Unesco. A intenção, agora, é tornar as comunidades quilombolas mais conhecidas da população. São 33 comunidades reconhecidas pelo governo do Estado de São Paulo, sendo 26 no Vale do Ribeira. Dessas, contudo, apenas seis foram tituladas e só o quilombo de Ivaporunduva é titulado integralmente, em um processo que levou mais de 20 anos. Uma grande ameaça é o desconhecimento da população do modo de vida quilombola. O esforço de contornar a desinformação ganha ponto hoje com o lançamento da websérie "Ribeira Essencial", produzido pelo Instituto Socioambiental Valor Econômico, 2/3, Brasil, p.A4.
  Uma longa e planejada viagem por 26 quilombos do Vale do Ribeira virou websérie que entra no ar hoje, em um site do Instituto Socioambiental. O trabalho tem como título Ribeira Essencial, e está em ribeiravale.org.br. Produzida pelo designer e professor Marcelo Rosenbaum e dirigida por Carol Quintanilha, com participação de arquitetos, publicitários e designers, a série tem quatro capítulos e expõe os desafios da região - onde apenas um quilombo, dos 26, está integralmente titulado - o de Ivaporunduva. Além da série, a ONG vai lançar uma ampla campanha de assinaturas para exigir das autoridades a rápida regularização de toda a área OESP, 2/3, Direto da Fonte, p.C2.
  
 

Amazônia

 
  Extração de madeira, de minério e atividade agropecuária avizinham cinco unidades de conservação (UCs) que poderão ter suas áreas de proteção reduzidas, no Sul do Amazonas, por um projeto em discussão no governo federal. Sobrevoos e análise de imagens de satélite feitos pelo Greenpeace mostram que estas unidades têm casos isolados de desmatamento e mineração ilegal, mas as pressões econômicas em seu entorno podem significar um risco para a conservação da biodiversidade caso as UCs sejam, de fato, reduzidas. No último dia 7, uma reunião do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, com parlamentares do Amazonas, para discutir a proposta alarmou ambientalistas. A área das UCs poderá ser reduzida em 37% no total O Globo, 2/3, Sociedade, p.24.
  A colheita de soja no Brasil atingiu 34,3% da área estimada para a temporada 2016/17, com as atividades mantendo-se em ritmo mais acelerado que a média histórica para o período. A expectativa é que a atual colheita seja recorde. Porém, atoleiros e bloqueio a caminhões carregados de soja na rodovia BR-163, no Pará, vêm atrapalhando o escoamento da safra, o que resulta em prejuízos de US$ 400 mil ao dia, com a impossibilidade de embarcar o produto, informou a associação que representa as indústrias da oleaginosa no Brasil, Abiove FSP, 2/3, Mercado, p.A12.
  
 

Saneamento

 
  "Por orientação do Tribunal de Contas do Estado, a Sabesp submeterá à Arsesp (agência reguladora), ainda no decorrer de 2017, uma proposta de revisão da estrutura tarifária, que certamente será debatida em audiências públicas. As simulações da Sabesp mostram que a diminuição dos subsídios cruzados que hoje beneficiam as classes média e alta, somada ao contínuo aumento de produtividade, resultarão numa distribuição mais justa dos custos e no avanço mais célere em direção ao padrão europeu de saneamento", artigo de Jerson Kelman FSP, 2/3, Tendências/Debates, p.A3.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: