sexta-feira, 23 de março de 2018



Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA


HOJE:
Água, Agropecuária, Agrotóxicos, Amazônia, Energia, Licenciamento Ambiental, Mineração, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas, Quilombolas, Unidades de Conservação
Ano 18
23/03/2018


Direto do ISA



ISA e mais 38 organizações denunciam violação de direitos indígenas no Teles Pires

Documento divulgado, ontem, no Fórum Mundial da Água, em Brasília, condena atuação da Força Nacional na fronteira entre Pará e Mato Grosso - Direto do ISA, 23/3.

Produção do Quilombo Porto Velho, no Vale do Ribeira (SP), tem qualidade orgânica reconhecida

Cerca de 50 tipos de frutas, legumes, grãos e verduras do Sistema Agrícola Tradicional Quilombola podem ser comercializados; outras nove comunidades buscam reconhecimento - Direto do ISA, 22/3.

Fique sabendo o que aconteceu entre 16 e 22 de março de 2018

A semana foi marcada especialmente pelo anúncio de medidas por parte do governo federal no 8º Fórum Nacional da Água que se realizou em Brasília. O Rio Negro, no noroeste amazônico, passou a ter o maior sítio de áreas úmidas de importância internacional do mundo, com 11,2 milhões de hectares (Ramsar), incluindo oito Terras Indígenas e 16 reservas ambientais na região. Durante o evento, o governo também confirmou oficialmente a ampliação da área protegida marinha do Brasil em mais de 16 vezes, pulando de 1,5% para 25% da zona costeira-marinha - Direto do ISA, 23/3.

 


Povos Indígenas



Em palestra, líder indígena Davi Kopenawa fala sobre arte e denuncia exploração

Um dos principais representantes da comunidade indígena brasileira, o líder Yanomami Davi Kopenawa conversou com aprendizes, formadores e coordenadores dos cursos regulares da SP Escola de Teatro, nesta quinta-feira (22). A palestra na sede Brás marca mais um encontro com reflexões relacionadas a identidade e corpo, temas deste semestre letivo na Instituição - SP Escola de Teatro, 22/3.

 


Agropecuária



Votação do projeto que autoriza cana-de-açúcar na região Amazônica é adiada

Previsto para ser votado no Plenário nesta quarta-feira (21), o projeto que permite o cultivo de cana-de-açúcar em áreas degradadas da Amazônia Legal teve sua votação adiada. O texto chegou a ser colocado em votação, mas não houve quórum para deliberar, devido à obstrução de partidos como PT, PSB e Rede - Agência Senado, 21/3.

De arma na cintura, agronegócio tenta expulsar comunidades tradicionais do Cerrado

Em setembro do ano passado, o agricultor Ednaldo Lopes, morador da zona rural de Formosa do Rio Preto, no Oeste da Bahia, pastoreava o gado, como sempre fizera, quando três homens armados da empresa Agronegócio Estrondo o mandaram descer do cavalo. Na negativa, atiraram de uma distância de 50 metros. Essa não foi a única violência que Lopes sofreu por agentes do megaempreendimento de soja que ocupa a localidade do Vale do Rio Preto, em Formosa, onde seis comunidades tradicionais dos chamados geraizeiros habitam desde o século XIX - The Intercept, 22/3.

 


Agrotóxicos



Brasileiros não sabem se tem agrotóxicos na água que bebem

O sistema nacional de monitoramento de água potável é vergonhosamente inadequado para detectar a ameaça de substâncias nocivas. A equipe do jornal El País visitou uma pequena comunidade rural no norte do Brasil para ver como os agrotóxicos afetam as pessoas no campo. O Brasil, uma potência em agricultura industrial, é um dos maiores consumidores de agrotóxicos no mundo. Culturas como a de soja, de milho, de algodão e de cana-de-açúcar são cultivadas com enormes quantidades de agrotóxicos: cerca de 400 mil toneladas por ano. Dos 10 agrotóxicos mais utilizados no Brasil, 4 são proibidos na Europa - El País, 22/3.

 


Mudanças Climáticas



Fórum debate adaptação de comunidades tradicionais às mudanças climáticas

A adaptação de comunidades tradicionais e indígenas às mudanças climáticas e aos impactos de grandes empreendimentos foi discutida em uma sessão especial nesta quarta-feira (22), durante o 8º Fórum Mundial da Água (FMA). Não havia lideranças indígenas brasileiras presentes ao debate, mas a representante do Canadá, Sunny Lebourdais, deu exemplos de como a luta das lideranças impediu ações de uma mineradora na Colúmbia Britânica - Agência Brasil, 22/3.

 


Água



Cidade pernambucana é 1ª do país a dar aos rios os mesmos direitos dos cidadãos

Na transição da zona da mata e o agreste pernambucano, as serras verdes e as cachoeiras do município de Bonito (PE) têm direitos próprios reconhecidos, assim como os cidadãos. No fim do ano passado, a lei orgânica da cidade que aposta no ecoturismo foi mudada para o reconhecimento do chamado direito da natureza. O município é o primeiro do país a encampar essa tese, que tem crescido no mundo com o apoio da ONU. O assunto foi debatido durante o 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília - FSP, 23/3, Cotidiano, p.B5.

Agricultura avança no país pagando pouco pela água utilizada

Celeiro do mundo, o Brasil avança na agricultura sem que os produtores paguem pela água que consomem. A cobrança pelos recursos hídricos diretamente captados de rios e aquíferos ainda é pouco disseminada no país e é apontada por especialistas como um estímulo ao uso racional desse bem tão valioso. O Brasil tem quase 7 milhões de hectares de terras irrigadas, área que cresce 4% ao ano segundo dados da Agência Nacional de Águas, ritmo muito superior ao do crescimento econômico. Tamanho avanço faz do setor agrícola uma verdadeira draga: 67,2% do consumo médio nacional de água vão para a irrigação - O Globo, 23/3, País, p.12.

Na Bahia, cidade de Lapão afunda de tanto cavar poços

O fundo do poço da crise hídrica rachou em Lapão, no sertão da Bahia. Quando o poço afundou, foi com estrondo. Rasgou o chão e engoliu parte do centro da cidade. De tanto escavarem poços em Lapão para captar água para irrigação, a terra tremeu e colapsou. Num lugar onde quase nunca chove, a água vem das profundezas, que no caso tem nome, o Sistema Aquífero Bambuí, um dos leitos subterrâneos da Bacia do Rio São Francisco. Hoje, a cidade tem uma cratera em seu centro e ainda racha - O Globo, 23/3, País, p.13.

‘Caixa d’água’ do Brasil, Cerrado encolhe 43%

No Cerrado, estão as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul (Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata). O cerrado é a caixa d'água do Brasil, pois a maior parte dos rios do país nascem aqui, por causa da formação geográfica. Além disso, tem um regime de concentração de chuva muito marcado, que faz com que a remoção da vegetação altere a forma como a água é armazenada - O Globo, 23/3, País, p.13.

Em fórum povos indígenas "ensinam" que a água deve ser reverenciada

Tratando a água como um membro da família e como algo sagrado a ser conservado para as próximas gerações, as comunidades indígenas de países sul-americanos defenderam a preservação dos rios e montanhas e criticaram as propostas de privatização e venda de mananciais e aquíferos durante o 8º Fórum Mundial da Água. A indígena Maria Alice Campos Freire, do Conselho Internacional das Treze Avós Indígenas, explicou que os povos indígenas da Amazônia sempre tiveram uma relação de respeito com a água, que é passada de geração para geração desde os ancestrais. Contou que esse conhecimento é passado para as filhas - Agência Brasil, 22/3

Especial Água

O jornal Valor Econômico desta sexta-feira (23) traz um caderno especial sobre Água abordando itens como segurança hídrica, investimentos, soluções no combate à escassez, conflitos migratórios provocados pela escassez, ferramentas digitais para gestão, saneamento, reúso industrial, lixo, clima e experiências de outros países na gestão do bem entre outros - Valor Econômico, 23/3, Especial Água

 


Energia



Mais um apagão

"Embora a explicação dada até agora para sua ocorrência – uma falha técnica na linha de transmissão da energia elétrica gerada pela Usina de Belo Monte – pareça plausível, apesar de sua simplicidade, as consequências do apagão que afetou as Regiões Norte e Nordeste na tarde e no início da noite de quarta-feira passada foram imensas para a população e para a economia. Por isso, é preciso que as causas da interrupção do fornecimento de energia elétrica numa região tão ampla sejam avaliadas criteriosamente pelas autoridades para que, pelo menos pelos mesmos fatores, o fenômeno não se repita" - OESP, 23/3. Opinião, p.A3.

Por um triz, Belo Monte fica sem multa por apagão

A falha no fornecimento de energia ocorreu três dias antes do fim da carência. Leia na coluna de Maria Cristina Frias - FSP, 23/3, Mercado Aberto, p.A16.

 


Mineração



Mariana: indenizações devem chegar a R$ 2 bi

As indenizações que serão feitas à população atingida pelo desastre da barragem de Mariana, em Minas Gerais, em novembro de 2015, deverão ser concluídas até o fim do ano, com estimativa de chegarem a R$ 2 bilhões. Roberto Waack, presidente da Fundação Renova, instituição criada para tocar os programas de recuperação, disse que um cadastro de indenizações com dados de cerca de 30 mil famílias está concluído e que cerca de 70 mil pessoas deverão ser atendidas após um processo de negociação - OESP, 23/3, Metrópole, p.A16.

 

OUTRAS NOTÍCIAS

‘Desenvolvimento do Brasil virá da Amazônia’, defende prefeito em Fórum
"Ambientalistas iniciam ofensiva para proteger 'rios voadores' da Amazônia"
Ibama apreende madeira ilegal da Amazônia em empresa na região de Curitiba
Missões religiosas mais atrapalham do que ajudam índios", diz Nara Baré
Governo excluiu aos '45 do 2º tempo' áreas mais vulneráveis de reservas marinhas, dizem pesquisadores
Brasil defende proteção dos recursos naturais
Parceria em prol da multiplicação de conhecimento
MPF-MT vê falhas em projeto e pede que o governo suspenda licenciamento ambiental de PCHs
Emissões globais crescem 1,4%, após três anos de estagnação


Nenhum comentário: