segunda-feira, 22 de maio de 2017




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Agricultura, Água, Amazônia, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas, UCs, Livros
Ano 17
22/05/2017

 

Amazônia

 
  "Com a chegada de Temer ao Planalto e a escolha de um ruralista para o Ministério da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), teve início a ofensiva contra unidades de conservação na Amazônia, em especial no sudoeste do Pará. Nessa região se acha a Floresta Nacional do Jamanxim. A medida provisória 756 previa extirpar-lhe 3.000 km²; na Câmara, o talho aumentou para 4.860 km². O vizinho Parque Nacional do Jamanxim, de acordo com outra MP (758) desfigurada pelos deputados, perderá 3.440 km² de seus 8.600 km², se a medida passar no Senado. O caos instalado em Brasília por Joesley Batista, paradoxalmente, pode pôr por terra essa investida ruralista. Para que não deixem de vigorar, as medidas provisórias têm de ser votadas pelo Senado em uma semana, até o dia 29 -perspectiva hoje das mais improváveis", editorial FSP, 21/5, Editoriais, p.A2.
  Apontado como principal interessado na construção e operação da ferrovia Ferrogrão, que vai ligar Sinop (MT) a Miritituba (PA), o consórcio Pirarara está em negociação avançada com um fundo americano interessado em ficar com 12% do investimento. O empreendimento está orçado em R$ 12,6 bilhões, sendo a maior parte, cerca de R$ 9 bilhões, concentrada nos cinco primeiros anos. Há uma previsão de que o BNDES financie até 80% da obra. Os valores podem mudar, pois a data-base é de março de 2015. Os estudos estão em fase de ajuste. Além da Estação da Luz Participações (EDLP) - que atua como estruturadora do projeto -, o consórcio Pirarara tem como âncoras as tradings agrícolas ADM, Cargill, Amaggi, Louis Dreyfus e Bunge Valor Econômico, 22/5, Empresas, p.B3.
  O Pará é um emblema tanto da exploração sexual infantojuvenil quanto do enfrentamento do problema. Nordeste e Norte são as regiões com mais denúncias de violação sexual. O Pará, em especial, reúne características que favorecem a exploração infantil e complicam seu combate, afirma Assis da Costa Oliveira, professor de direitos humanos da Universidade Federal do Pará. Mão de obra masculina atraída para grandes obras, como Belo Monte, infla o negócio do sexo. E a fronteira com o Suriname é porta de saída para o tráfico sexual FSP, 22/5, Caderno Especial, p.2 a 5.
  
 

Mudanças Climáticas

 
  Uma pesquisa divulgada recentemente pela revista "Science Advances" negou a desaceleração no aquecimento global, alardeada por cientistas que negam a existência das mudanças climáticas. De acordo com o levantamento, a temperatura global teve um aumento expressivo entre 1998 e 2012, período que ficou conhecido como "hiato climático", porque o aquecimento do planeta teria sido inferior ao de décadas atrás. Segundo os defensores da teoria, esta seria uma prova de que a elevação dos termômetros é um fenômeno natural, e não uma consequência de ações humanas. Ao medir a temperatura média global durante o "hiato", diversos grupos de pesquisa levaram em conta somente a temperatura da superfície do ar, desconsiderando aquela vista nos oceanos O Globo, 21/5, Sociedade, p.44.
  O verde está avançando sobre o gelo na Antártica. Em estudo publicado esta semana no periódico científico "Current Biology", pesquisadores liderados por Matthew Amesbury, da Universidade de Exeter, no Reino Unido, verificaram uma expansão na área ocupada e um aumento na atividade biológica de bancos de musgo em três ilhas na costa Oeste da Península Antártica desde os anos 1950. A época coincide com a aceleração do aquecimento global, o que faz os cientistas acreditarem que o fenômeno está diretamente relacionado às mudanças climáticas O Globo, 20/5, Sociedade, p.35
  "Na economia de baixo carbono, florestas são ativos valiosos e podem financiar o desenvolvimento sustentável. O Brasil é líder na redução de emissões e tem o dever de promover internacionalmente a inclusão do REDD+ em mercados integrados e suplementares. O mundo já se movimenta nesse sentido, por isso, a hora de agir é agora", artigo de Pedro Moura Costa e Mariano Cenamo Valor Econômico, 22/5, Opinião, p.A14.
  "A ciência mostra que não temos tempo a perder e reivindica ações de impacto em relação às mudanças climáticas. Um estudo recém-lançado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) aponta que ignorar esta agenda é, além de um desprezo à ciência, um mau negócio. O estudo analisa as metas de redução de emissões de gases de efeito estufa que o Brasil assumiu no contexto do Acordo de Paris e conclui que elas abrem inegáveis oportunidades econômicas. Uma janela que pode permitir ao país reordenar seu modelo de desenvolvimento em bases sustentáveis e reposicionar-se de maneira mais competitiva na nova agenda global que vai até 2030", artigo de Marina Grossi O Globo. 22/5, Opinião, p.17.
  
 

Geral

 
  Menos de 150 migrantes chegaram de outros Estados nos últimos 12 meses para se empregarem como cortadores de cana em canaviais na região de Guariba, interior de São Paulo. Há dez anos, vieram 9.600, segundo a Pastoral do Migrante da Igreja Católica. A quase extinção dos cortadores - apelidados de boias-frias - em São Paulo tem relação direta com a proibição da queima da palha da cana-de-açúcar, processo que se iniciou, de forma gradual, em 2007, e termina este ano. Sem a queima, o corte manual da cana torna-se inviável, e é necessário o uso de máquinas. Pela legislação, apenas pequenas propriedades, com menos de 150 hectares, ou áreas com declives acentuados, onde as máquinas não têm acesso, terão permissão para continuar com o corte manual OESP, 21/5, Economia, p.B9.
  Em livro, engenheiro florestal mostra que plantas se comunicam entre si e têm até 'internet' própriaFSP, 21/5, Ciência, p.B6.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: