segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Como levar os valores olímpicos para dentro da escola

Revezamento da Tocha Olímpica em Paraty, no Rio de Janeiro. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Revezamento da Tocha Olímpica em Paraty, no Rio de Janeiro. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Evento esportivo pode ser uma oportunidade para os professores trabalharem conteúdos transdisciplinares e estimularem o desenvolvimento de competências.
Por Marina Lopes, do Porvir –
A Olimpíada Rio 2016 já começou e, junto com as competições esportivas, traz uma oportunidade para professores trabalharem valores olímpicos e paraolímpicos de forma transdisciplinar dentro da escola.
Entre as 42 modalidades olímpicas disputadas na Rio 2016, não faltam assuntos para serem explorados dentro e fora da sala de aula. Para Vanderson Berbat, gerente de Educação do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, o esporte permite trabalhar uma série de valores e auxilia no desenvolvimento de competências socioeocionais.
Valores como amizade, respeito, excelência, igualdade, inspiração, determinação e coragem podem ser vivenciados por meio de diferentes atividades.
“Mais do que trabalhados na escola, a ideia é que esses valores sejam incorporados pelos alunos no dia a dia”, afirma Berbat, que também sugere a consulta de diferentes conteúdos no site do projeto Transforma, do Comitê Organizador, onde são disponibilizados materiais didáticos, vídeos e tutoriais.
Das modalidades esportivas aos aspectos políticos, sociais e culturais do evento, ele menciona que os educadores encontram espaço para relacionar diferentes conteúdos. Ao falar sobre doping, por exemplo, os alunos podem tanto aprender sobre a reação química que acontece no corpo de um atleta, quanto discutir sobre jogo limpo e condições iguais para todos. Além disso, outros assuntos atuais também abrangem o evento, como a trégua olímpica e países que estão em conflitos.
Nesta edição, os jogos olímpicos também estão marcados pela criação de uma equipe de refugiados. “A ideia de trabalhar a questão da igualdade pode ser feita pelos jogos olímpicos. É possível trazer temas, inclusive atualidades que vão cair no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a partir dos jogos olímpicos e dos valores olímpicos”, explica, ao mencionar que isso ajuda os alunos compreenderem melhor diversas questões.
O professor Lino Castellani Filho, da UnB (Universidade de Brasília), aponta que os jogos olímpicos deveriam ganhar o status de tema transversal dentro do âmbito escolar. No entanto, ele menciona que isso não aconteceu. “Digo deveria, porque não ganhou, e com isso se perdeu oportunidade impar de se envolver a comunidade escolar no trato pedagógico de uma prática social integrante da cultura corporal dos homens e mulheres brasileiros, qual seja, o Esporte.”
Segundo ele, geografia, história, ciências, educação artística, cultura religiosa dos países participantes, jogos e brincadeiras que os caracterizam e as modalidades esportivas que dão a eles identidade poderiam ter se envolvido em um projeto empolgante, que culminaria com os próprios alunos organizando seus jogos escolares.
O professor também chama atenção para a abordagem de outros aspectos do evento, como a lógica de desenvolvimento urbano e o conceito de Gentrificação, que se refere a mudanças na composição de uma região com construção de novos espaços que aumentam o custo de vida e afastam uma parcela da população local. “Para além disso, tratar a Olimpíada como megaevento esportivo significa levar os alunos ao entendimento do significado de desenvolvimento urbano centrado no conceito de Cidade Empresarial, onde ações centradas no conceito de Gentrificação ganham espaço, se tornando prática corrente”, aponta o professor.
Para trabalhar temas e valores associados aos jogos olímpicos, confira a lista com algumas indicações:
– Livro “Os Jogos de Minha Escola”
O livro infanto-juvenil, de Lino Castellani Filho e Rafael Moreno Castellani, propõe ressignificar as competições esportivas e motivar os alunos por meio da prática social do esporte.
– Vídeo “Olimpíadas Rio 2016: quanto custa e quem paga a conta?”
Com duração de 6 minutos e 38 segundos, o vídeo aponta as despesas do evento e explica quem é responsável por pagar as despesas.
– Meninas Empoderadas
Em parceria com a ONU Mulheres e com a ONG Women Win, os conteúdos disponíveis no site do projeto Transforma debatem questões de gênero e a participação das mulheres na prática esportiva.
– As tochas Olímpicas e Paralímpicas
Em uma série de três aulas digitais, são apresentados conceitos, curiosidades e a história da tocha olímpica.
– A física dos esportes
As aulas digitais explicam movimentos perfeitos, gols e outros fenômenos esportivos a partir da física.
– Acessibilidade, direito de todos
Em uma série de aulas, desenvolvidas em parceria com o Abraça, programa de sustentabilidade dos Jogos Rio 2016, são apresentadas dicas para trazer o tema acessibilidade para escola. (Porvir/ #Envolerde)
* Publicado originalmente no site Porvir.

Nenhum comentário: