terça-feira, 23 de agosto de 2016

Ibama desarticula esquema milionário para exportação ilegal de ipê


Ibama desarticula esquema milionário para exportação ilegal de ipê

O Ibama desarticulou esquema criminoso para extração, transporte e comercialização de madeira ilegal na região norte de Mato Grosso. Na ação, foram aprendidos aproximadamente 350 metros cúbicos de ipê já serrado (cerca de 18 caminhões carregados), avaliados em R$ 1,7 milhão. O produto teria como destino o mercado internacional, principalmente Bélgica, Estados Unidos e França.
A partir de uma madeireira fantasma com sede no município de Tabaporã, a quadrilha fraudava dados no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Mato Grosso, para obter créditos florestais que eram usados para simular origem legal para a madeira explorada irregularmente na região. Dessa forma, o grupo garantia o transporte e a comercialização do produto.
Parte da madeira, cerca de 40 metros cúbicos, foi apreendida quando era transportada por um caminhão que foi interceptado com o apoio da Polícia Rodoviária Federal em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O restante foi apreendido no momento em que era carregado em contêineres para exportação no Porto de Paranaguá, no Paraná.
Em dois anos e meio, estima-se que tenham sido vendidos 16 mil metros cúbicos de madeira ilegal em tora, esquentados por 656 guias florestais falsas emitidas pela empresa fantasma. Além dos crimes contra o meio ambiente, há indícios de irregularidades tributárias que serão denunciadas ao Ministério Público Federal.
A desarticulação do esquema criminoso faz parte da Operação Sinapse, realizada pelo Ibama para combater a exploração, o transporte e a comercialização de madeira ilegal no país por meio da identificação e neutralização de fraudes praticadas nos sistemas oficiais de controle florestal, que permitem o monitoramento da cadeia produtiva desde a solicitação de corte ou manejo até o consumo do produto final.
Os sistemas federal e estadual apontam que no ano passado foram comercializados três milhões de metros cúbicos de toras de madeira nativa no Mato Grosso.
Principal alvo das quadrilhas, o ipê é a madeira brasileira mais procurada no exterior e a que atinge maior valor: US$ 2 mil o metro cúbico. A maior parte dos estoques de ipê fica em áreas protegidas, como Unidades de Conservação e Terras Indígenas.
Informações e foto: Ibama
in EcoDebate, 23/08/2016

Nenhum comentário: