quinta-feira, 31 de outubro de 2013

MANCHETES SOCIOAMBIENTAIS - 31/10/2013


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Biodiversidade, Governo Dilma, Povos Indígenas, UHE Belo Monte
Ano 13
31/10/2013

 

Direto do ISA

 
  O II Módulo do curso de História do Rio Negro e o I Módulo de formação de lideranças foram realizados pela Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), suas associações de base (Acimrn, de Santa Isabel e Asiba, de Barcelos) e o ISA, de 16 a 21/10 - Direto do ISA, 30/10.
  O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) suspendeu no fim da tarde de terça-feira (29) decisão da última sexta (25), que determinara a interrupção das obras da usina de Belo Monte (PA) por descumprimento de obrigações socioambientais - Direto do ISA, 30/10.
   
 

Belo Monte

 
 
A pedido da AGU (Advocacia-Geral da União), o TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) cassou a decisão que mandava paralisar as obras da usina de Belo Monte (PA). Os trabalhos não chegaram a ser interrompidos, segundo a Norte Energia, responsável pela hidrelétrica. A suspensão da decisão foi determinada por Mario Cesar Ribeiro, presidente do TRF-1. Na sexta, o TRF-1 ordenara a paralisação das obras por ilegalidade no processo de licenciamento ambiental, atendendo pedido feito em ação de 2011 do Ministério Público Federal no Pará. A Procuradoria questionava a emissão de uma licença parcial para as obras da usina. Segundo a AGU, foram atendidas as condicionantes relativas a infraestrutura, saneamento, saúde e educação previstas na licença prévia - FSP, 31/10, Mercado 2, p.5; OESP, 31/10, Economia, p.B9; O Globo, 31/10, Economia, p.28.
   
 

Governo Dilma

 
 
"O governo vestiu o seu uniforme branco e decidiu que precisava combater os efeitos da crise financeira, garantir o crescimento e o nível de emprego. Para isso, prescreveu doses cavalares de isenção fiscal em setores chaves, como energia, transportes e agropecuária. Resultado: a economia não cresceu muito, a crise continua rondando por aí, mas o paciente sobreviveu. Em compensação, nossas ruas estão mais engarrafadas do que nunca, e batemos todos os recordes no consumo de agrotóxicos e fertilizantes. Além disso, os gases de efeito estufa gerados pela agropecuária e pela energia respondem hoje por 67% de todas as emissões brasileiras", coluna de Agostinho Vieira - O Globo, 31/10, Economia Verde, p.28.
  "O governo brasileiro lançou, na semana passada, o Plano Nacional de Contingência para grandes vazamentos de petróleo - um dia depois do polêmico leilão do pré-sal do campo de Libra, que ocorreu no Rio de Janeiro em 21 de outubro. Da forma como foi concebido, formulado e divulgado, o Plano, porém, não passa de uma carta de intenções. Suscita mais perguntas do que propõe respostas e deixa abertas questões primordiais, como a operacionalização e os recursos disponíveis para enfrentar eventuais acidentes e vazamentos. Enfim, não atinge seu objetivo maior, que é garantir a segurança ambiental em uma das principais e mais ricas zonas costeiras do mundo, diante de um vultoso empreendimento de altíssimo risco, a exploração de petróleo do pré-sal", artigo de Pedro Luiz Barreiros Passos e Roberto Luiz Leme Klabin - Valor Econômico, 31/10, Opinião, p.A14.
   
 

Biodiversidade

 
  As abelhas estão ameaçadas. Um fenômeno ainda sem explicação está levando ao desaparecimento de colmeias inteiras. E junto com o mel, o sumiço das abelhas põe em risco não só os produtos diretos gerados por elas, mas lavouras e pomares que podem minguar na ausência das polinizadoras universais. O risco é geral, afeta diferentes países e independe da espécie de abelha. No Brasil, a ameaça é ainda mais preocupante, pois o ambiente é especialmente favorável à produção de méis. Tome como exemplo a abelha canudo, típica da América tropical. Segundo o Slow Food Brasil, essa espécie é responsável pela polinização de 80% da flora na Amazônia. Manejadas por índios sateré-mawé, se elas sumirem, vão junto o mel, o saber fazer indígena e o guaraná amazônico, que é polinizado por elas - OESP, 31/10, Paladar, p.D1, D4 e D5.
   
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: