domingo, 13 de novembro de 2016

Reverbere – Festival Latino-Americano de Permacultura

Documentários e Educação de 23 a 27 de novembro
Locais: UMAPAZ, Cineclube Socioambiental, Planetário do Carmo e Escola Municipal de Astronomia
permaculturaJá imaginou ser responsável pela própria produção de água e energia elétrica? Ou construir sua casa de forma que ela atue em conjunto e a favor da natureza? Ideias como essas pertencem ao que chamamos de Permacultura, ciência que se baseia no planejamento de sistemas em escala humana criados em harmonia com a natureza. Desenvolvida na década de 70 pelos ecologistas australianos Bill Mollison e David HolmgrenA inspiração de Mollison surgiu a partir da inquietação de que o ser humano é um dos grandes responsáveis por boa parte dos problemas que afetam o planeta Terra. “Não temos desenvolvido em nenhum lugar do mundo ocidental (e duvido muito que em qualquer outro lugar, a não ser em áreas tribais) nenhum sistema sustentável de agricultura ou manejo de florestas. Nós não temos um sistema”, disse no manual “Introdução à Permacultura”. essência do pensamento permacultural se fundamenta em três pilares: cuidar da Terra; cuidar das pessoas e compartilhar os excedentes.
Para que possamos desenhar o mundo como o queremos, a partir de nossos saberes ancestrais, encontrando soluções locais e partilhando os recursos de maneira justa entre todas as pessoas, a PERMACULTURA deve ser mais e mais DISSEMINADA e DEMOCRATIZADA. É com esta ideia que estamos convidando todos vocês a participarem do REVERBERE – Festival Latino-americano de Permacultura – Documentários e Educação, que acontecerá em São Paulo, entre os dias 23 e 27 de novembro. São cerca de 2000 vagas em atividades todas GRATUITAS e uma programação riquíssima. Solicitamos doação de brinquedos educativos e livros infantis em bom estado para todas as atividades que acontecerem na UMAPAZ, para serem doadas as crianças de diversas instituições neste Natal.
crisantempoIniciaremos na noite do dia 23 às 19h30 com um Ecocoquetel e, na sequência, a abertura com roda de conversa com as convidadas internacionais Lucia Battegazzore (Uruguai) e Piedad Viteri (Equador) e os idealizadores do REVERBERE: Mônica Pilz Borba (UMAPAZ) Gisela Moreau (Sala Crisantempo e Cineclube Socioambiental), Thomas Enlazador (CASA) e Nadia Recioli (Casa da Cidade), apresentando a concepção do REVERBERE e a programação dos documentários, cursos, palestras e oficinas, na Sala Crisantempo, na Vila Madalena.

No dia 24, às 10h teremos apresentação de projetos permaculturais que estão acontecendo na cidade de São Paulo e contamos com a apresentação doMovimento de Defesa do Favelado, que desde os anos 70 vem atua na luta por moradia, saneamento, educação, saúde e cultura, desenvolvendo os projetos Pão e Arte, Creche Júlio César Aguiar, MOVA – Educação de Jovens e Adultos, Centro Pastoral D. Oscar Romero, Centro Cultural Vila Prudente, Salão do Povo e Cooper Recifavela, com Terezinha Silva, educadora, permacultora e cisterneira que, através do Projeto Pão e Arte, atuou na capacitação e instalação de mais de 50 cisternas para captação de água da chuva. E às 11h, apresentação do Quebrada Sustentável, que iniciou como um projeto de educação ambiental do Instituto Nova União da Arte – Nua e hoje é um Ponto de Cultura Socioambiental onde a Permacultura é praticada cotidianamente, promovendo a convivência comunitária, aprendizados e geração de renda, contando com uma horta comunitária, compostagem, minhocário, banco de sementes, captação de água fluvial e da chuva, círculo de bananeiras, bioconstruções, produção de mudas para arborização urbana, e empreendimentos locais sustentáveis, com Marcus Vinícius de Moraes, educador ambiental popular, permacultor, instrutor de yoga e articulador comunitário. Atua na perspectiva da cultura de paz e busca democratizar o acesso às tecnologias sociais.
Às 13h no Planetário do Carmo teremos o minicurso: Introdução à Permacultura Popular: ecologia na periferia (1a parte) onde é possível planejar nossos espaços para economizarmos recursos como água, luz, material de construção, produzir alimento orgânico e de qualidade, tudo isso com tecnologias simples e de baixo custo que qualquer pessoa pode aprender e fazer, com Lucas Ciola,educador ambiental com dez anos de experiência em implantação de hortas comunitárias e oito anos de experiência em filtragem doméstica de águas cinzas. É linguista formado pela USP, especializado em línguas indígenas.
À partir das 14h na Escola de Astronomia (parque Ibirapuera) haverá a Oficina de Água e Permacultura com Guilherme Castagna, sócio fundador da Fluxus Design Ecológico, onde integra sua formação em engenharia civil aos princípios de design ecológico no desenvolvimento de projetos de sistemas inovadores de manejo de água. 
Também às 14h, na UMAPAZ, a Oficina: Organizações Sociais BioInspiradas e Sociocracia 3.0. Partindo do pressuposto de que a Natureza vem há 3,8 bilhões de anos aperfeiçoando sistemas vivos que se auto-organizam de maneira resiliente e interconectada, o que podemos aprender com espécies muito mais antigas que a nossa? Como transformar alguns desses princípios em processos práticos para criarmos organizações eficazes, ágeis e regenerativas? Com Lucia Battegazzore (Uruguai), permacultora uruguaia há mais de 15 anos. Trabalha há mais de dez no Instituto Internacional de Facilitación y Cambio (México) como facilitadora profissional e capacitadora em tecnologias sociais e processos participativos. É educadora do Gaia Education e cofundadora do CASA Latina. E Ruth Andrade (Brasil), que aprofundou seus estudos e práticas em governança dinâmica e outras tecnologias sociais que sejam produtivas, engajadas, inspiradoras e sustentáveis, como Dragon Dreaming, Organizações de Centro Vazio, Organizações Caórdicas, Sociocracia, Sociocracia 3.0. Possui mestrado na área de meio ambiente, formações em Dragon Dreaming com John Croft, Sociocracia Clássica e Sociocracia 3.0 com James Priest e é praticante certificada de Holacracia, tendo estudado diretamente com o idealizador Brian Robertson. E aOficina Visão Sistêmica na Permacultura com Peter Webb (Brasil Austrália),formado em Horticultural Science na Austrália, onde também estudou Permacultura com Bill Mollison em Melbourne. Formou-se em agricultura Biodinâmica. Desde 1984 no Brasil administra cursos e desenvolve projetos de agroflorestas, agricultura sustentável, consultoria ambiental, paisagismo, cirurgia em árvores, recuperação de ambientes e reflorestamento.
Na noite do dia 24 iremos exibir às 19h o documentário “La voz del Viento – Sementes em transição”. Em 2012, o agricultor da Provença francesa, Jean Luc Danneyrolles e Carlos Pons, documentarista espanhol, organizaram juntos uma longa viagem a Granada durante o inverno, para ir de encontro a movimentos alternativos sociais, agroecológicos e de mudanças de paradigma. Ambos levam consigo uma grande coleção de sementes como moeda de troca ao longo da aventura. Uma câmera na mão e um testemunho vivo de um movimento crescente é o registro de um outro mundo possível aqui e agora. Em seguida haverá uma roda de conversas com Lucia Battegazzore (Uruguai), Mônica Pilz Borba (Brasil), pedagoga formada pela PUC/SP, especialista em Educação Ambiental pela FSP/USP, atualmente é diretora da UMAPAZ e curadora do Cineclube Socioambiental Crisantempo desde 2008, e Cristine Takuá (Brasil) filósofa, Liderança e Educadora indígena, Ecossocialista e Vice-presidente do Instituto Guarani da Mata Atlântica. Coordena a Comissão Nacional Yvy Rupa que luta pela união e autonomia do povo Guarani nos estados de SP, RJ, ES, PR, SC, RS, Argentina, Paraguai e Bolívia, militante da causa indígena e dos seres animais e vegetais da Mata Atlântica.
umapazNa manhã do dia 25, a partir das 10h na UMAPAZ, teremos a apresentação de mais dois projetos permaculturais urbanos: Casa Ecoativacentro eco-cultural localizado na Ilha do Bororé, às margens da Represa Billings, extremo sul da capital paulista. Esse espaço público da cidade ficou 8 anos inativo, o que gerou um processo de mobilização comunitária que conectou os grupos culturais da região do Grajaú, desde então o lugar se tornou um organismo vivo com programação periódica, promovendo o acesso à cultura, ao lazer e à discussão em torno de práticas sustentáveis, com Estela Cunha que é educadora e desenvolve projetos em escolas públicas de São Paulo (EMEI Dona Leopoldina, CEI Jamir Dagir e Escola Estadual Paulo de Abreu), além de atuar na construção de espaços educadores em como a Casa Ecoativa, Praça do Acuri na Pedreira, EMEF Gualberto também na Zona Sul. E às 11h, Ateliê Cendira, espaço compartilhado que também fica na periferia da zona sul de São Paulo e promove a troca de saberes relacionados à culinária e moda sustentável através de oficinas comGrace Matos, produtora cultural/ cozinheira/ relações internacionais. Tem formação em dança e percussão brasileiras pelo programa “Formação de Jovens Brincantes”, do Instituto Brincante; e em Massagem Ayurvédica (Indiana), e Reiki, pelo SENAC.
Na tarde do dia 25, às 13h no Planetário do Carmo ocorrerá a 2ª parte do minicurso: Introdução à Permacultura Popular: ecologia na periferia, comFelipe Pinheiro (Brasil) Engenheiro Civil, bioconstrutor e permacultor, pesquisa e desenvolve tecnologias de baixo impacto para a construção civil desde 2003, ano em que co-criou a Ecosapiens, escritório de bioarquitetura e construções naturais.
A partir das 14h na UMAPAZ teremos a oficina: Economia, Abundância e Permacultura com Lucia Battegazzore (Uruguai) Thomas Enlazador (Brasil), mestre em Gestão e Políticas Ambientais pela UFPE. Trabalha desde 2001 com Permacultura. Idealizador do Ecocentro Bicho do Mato, em Pernambuco (2008/2012). Líder Operacional de Alianças do Conselho de Assentamentos Sustentáveis da América Latina – CASA. Co-fundador da Awirẽ – Aliança Multiétnica de Permacultura. Especialista em Permacultura, Design Social, Comunitarismo e Biorregionalismo. Membro fundador do IBC – Instituto Bioregional do Cerrado, e autor do Almanaque de Práticas Sustentáveis, e a Oficina de Permacultura na Cidade, com Tomaz Lotufo (Brasil), permacultor e bioconstrutor. Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2000). Mestre pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, FAUUSP (2014). Professor do MBA em Construções Sustentáveis, INBEC / UNICID.
Na noite, às 19h na Sala Crisantempo iremos exibir o documentário Pan-Ba’Sa, fruto de uma produção independente do Projeto Earth Code com a Urantia TV. Pan-Ba’Sa tem duração de 60 minutos sobre o “Chamado da Montanha”, um encontro experimental que sugere uma visão globalizante sobre a vida na Terra, utilizando o Conselho de Visões com 477 pessoas de 26 países experimentaram conviver por 7 dias como a sociedade que profetizamos ser. O longa foi dirigido por Henny Freitas, na Colômbia, em fevereiro de 2012. Traduzido do povo indígena NASA, “Pan-Ba’Sa” significa “de todos para todos”, é uma possível resposta às crises que enfrentamos hoje no planeta.
Na tarde do dia 26 na UMAPAZ, ocorrerá a apresentação do Programa Latino-Americano de Regeneração Ecossocial no contexto das catástrofes, com Piedad Viteri (Equador)Henny Freitas (Brasil), jornalista, ativista, permacultora e educadora ambiental. Mestre em Empreendedorismo pela University of  Buckingham, Inglaterra. Co-fundadora e articuladora do CASA Latina e da Rede Novos Parques. Co-fundadora da Awirẽ – Aliança Multiétnica de Permacultura e do EarthCode Difunde o conceito “zero lixo” (da compra ao descarte), promovendo cursos e oficinas para a construção de Domos e Geodésicas e Thomas Enlazador (Brasil), e ainda a Oficina de Turismo Permacultural e Colaboração, acerca de um programa global inovador está sendo incubado e focalizado pela organização de Turismo Colaborativo WorldPackers, que fará a ponte entre viajantes do Brasil e Mundo, para voluntariar, oferecendo seus talentos e serviços, contribuindo com um valor justo para as instituições cadastradas no programa, tendo foco nos centros de permacultura, ecovilas e assentamentos sustentáveis, com Ana Karolina Andrade, graduada em Relações Públicas pela Faculdade Cásper Líbero. Trabalha comunicação organizacional, social media e comunicação interna. Tem paixão por tecnologia, inovação, viagens e colaboração. A busca incessante por um trabalho com propósito, guiou seu caminho até a Worldpackers, onde é responsável pela expansão e fortalecimento da comunidade de Anfitriões, prestando consultoria e desenvolvendo parcerias estratégicas para o Turismo.
Na noite do dia 26às 19h na Sala Crisantempo, será exibido o documentário:Soluções Permaculturais para Desafios Atuais: Jardim no Fim do Mundo,produzido no Afeganistão no ano de 2010, o filme foi dirigido pelo australiano Gary Caganoff e retrata a vida das vítimas da invasão americana no país. O enredo gira em torno de duas mulheres australianas, a ativista Mahboba Rawi e a permacultora Rosemary Morrow, que buscam alternativas sustentáveis e pacíficas para reconstruir o país socialmente pela primeira vez. O documentário se constrói a partir das histórias dos sobreviventes e da tentativa de diálogo com a sociedade já devastada pela guerra. Seguido por uma roda de conversas com Piedad Viteri (Equador), Ruth Andrade (Brasil) e Reinaldo Nascimento (Brasil), terapeuta social e educador físico. Integrante do time internacional da Pedagogia de Emergência, com o qual participou de várias intervenções ao redor do mundo, entre elas: Quênia, em um campo de refugiados com mais de 80.000 pessoas; em vários campos de refugiados do Líbano e em várias cidades das Filipinas atingidas pelo furacão. Intervenções em vários campos de refugiados para sírios no Curdistão-Iraque, com as vítimas do terremoto no Nepal e no Equador; com alunos traumatizados pelo atentado na França. Também trabalha na formação de educadores no Brasil, Alemanha, Suíça e EUA. No Brasil traduz as palestras e mantém o contato com as organizações sociais que se interessam pela Pedagogia de Emergência e sua metodologia.
E para finalizar a programação do REVERBERE no domingo 27, das 11h às 15h na UMAPAZ iremos prestar nossa homenagem a Bill Mollison, pai da Permacultura, que faleceu em setembro de 2016, inserindo uma foto com dizeres na galeria de pessoas ilustres no saguão da UMAPAZ. Na sequencia haverá umafeira de trocas, piquenique e o som permacultural do Bando do Seu Pereirano gramado.
O REVERBERE é uma realização da UMAPAZ – Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cultura de Paz, Cineclube Socioambiental Crisantempo, Instituto Casa da Cidade e CASA – Conselho de Assentamentos Sustentáveis da América Latina. Com os seguintes apoiadores: AWIRE – Aliança Multiétnica de Permacultura, Casa da Joanna, Casa Jaya, Coletivo PermaSampa, Hortelões Urbanos, IBC – Instituto Biorregional do Cerrado, ISES – Instituto de SocioEconomia Solidária, Lush, MUDA – Movimento Urbano de Agroecologia, PSB – Rede de Permacultura Social Brasileira, WorldPackers.

Nenhum comentário: