sexta-feira, 30 de junho de 2017




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Agricultura Orgânica, Água, Amazônia, Biodiversidade, Energia, Licenciamento Ambiental, Mata Atlântica, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas, UCs
Ano 17
30/06/2017

 

Amazônia

 
  Dados declarados pelos fazendeiros no Cadastro Ambiental Rural mostram 5,5 milhões de hectares, nesses municípios, em regiões com histórico de conflitos - De Olho nos Ruralistas, 29/6.
  Pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco que analisou todas as mudanças em áreas protegidas desde 1981 diz que corte proposto de floresta nacional do Pará para atender grilagem é inédito na dimensão e no objetivo - Observatório do Clima, 30/6.
  A Eletrobras confirmou ontem a intenção de exercer a cláusula de "tag along" (mecanismo que estende a oferta dos controladores aos minoritários nas mesmas condições) com relação à venda de sua participação na hidrelétrica de Santo Antônio (RO). Nesta semana, a Cemig, uma das acionistas de Santo Antônio, informou ter recebido oferta da chinesa SPIC Overseas pela sua participação na hidrelétrica - Valor Econômico, 30/6, Empresas, p.B2.
  "Desde o início, o apoio esteve condicionado aos resultados que o Brasil obteria na redução do desmatamento na Floresta Amazônica no ano anterior, em comparação à média histórica dos últimos dez anos. A mensagem encaminhada pelo ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, é constrangedora. Traz enorme lista de motivos para o corte de recursos, entre os quais o aumento da taxa de desmatamento, mudanças na política ambiental, redução das unidades de conservação, além do fato de cada vez mais o governo ceder à pauta do segmento atrasado de um setor que tem como estratégia expandir a fronteira agrícola em vez de investir em tecnologia para aumento de produtividade. Pesou também a redução significativa do orçamento para a área ambiental", artigo de Marina Silva - Valor Econômico, 30/6, Opinião, p.A11.
  "Com a prorrogação por mais 50 anos dos incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus, a contar a partir de 2023, o Congresso acenou positivamente para duas questões fundamentais: a continuidade de um modelo de desenvolvimento regional de sucesso e a preservação da floresta amazônica, que abriga a maior biodiversidade do planeta. Isso mesmo, a Zona Franca contribui com a preservação ambiental. Estudo das universidades do Amazonas e do Pará, do Instituto Piatam e do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) atestam que os efeitos do modelo são responsáveis diretos por mais de 98% da cobertura florestal do Estado", artigo de Vanessa Grazziotin - FSP, 30/6, Tendências/Debates, p.A3.
  
 

Geral

 
  Potência mundial do agronegócio, o Brasil pode ser um viveiro de tecnologias e de modelos agroecológicos, que tornem economicamente viável a produção orgânica de alimentos e fibras no país. Essa é uma das principais conclusões de especialistas, produtores rurais e empreendedores sociais no "Diálogos Transformadores", que na terça-feira (27) debateu o tema. "Se tivermos empenho para desenvolver tecnologia no campo na visão da agricultura orgânica, de base agroecológica, podemos dar saltos enormes", disse Rogério Dias, coordenador de agroecologia e produção orgânica do Ministério da Agricultura. Segundo dados da pasta, a área de produção de orgânicos no Brasil é de 1,1 milhão de hectares, quase o dobro do que havia em 2013 - FSP, 30/6, Ciência, p.B7.
  O presidente da Sabesp, Jerson Kelman, afirmou ontem que a companhia pretende enviar, até o fim do ano, proposta que mudará a cobrança de água em São Paulo. O objetivo é que as mudanças entrem em vigor até abril, prazo final da revisão tarifária. Entre as propostas está criar taxas sazonais, que atingiriam o litoral no réveillon, por exemplo. No modelo atual, o metro cúbico de água custa mais caro no Estado para os usuários que utilizam maiores volumes e prevê uma tarifa social para quem gasta menos. Na proposta a ser enviada, a ideia é aliviar os custos para famílias de baixa renda e para o setor público. Outra mudança se refere à alteração na discriminação da cobrança, hoje com valores divididos por água e esgoto. Ele sugeriu a criação de uma tarifa única, o que retiraria dos consumidores a opção de refutar a prestação do segundo serviço - OESP, 30/6, Metrópole, p.A16.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: