quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017




Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Amazônia, Áreas Protegidas, Árvores, Direitos Humanos, Mata Atlântica, Mineração, Povos Indígenas, Questão Agrária
Ano 16
22/02/2017

 

Direto do ISA

 
  Além de perder a licença para a instalação, a canadense Belo Sun deve ser investigada por crime de grilagem Direto do ISA, 22/2.
  Vinte e uma organizações da sociedade civil, o ISA entre elas, divulgam carta de repúdio contra proposta do governo que fragmenta a floresta, aumenta o desmatamento levando a Amazônia a um caminho de destruição sem volta Direto do ISA, 21/2.
  
 

Amazônia

 
  O interesse na mineração de ouro em meio a áreas de floresta amazônica protegidas por lei é um dos motes da bancada de parlamentares do Amazonas, que pretende reduzir em mais de um milhão de hectares a extensão das unidades de conservação criadas no sul do Estado. O interesse na mineração coincide com estudo do WWF-Brasil. Os ambientalistas levantaram os pedidos de pesquisa e lavra de minérios protocolados no DNPM para o sul do Amazonas e sobrepuseram a base de dados às áreas que os políticos querem retirar das unidades de conservação. "A iniciativa, basicamente, é para retirar de dentro das unidades de conservação áreas com pedido de lavra mineral", diz Ricardo Mello, do WWF-Brasil. O estudo mostra cerca de 150 processos minerários na área a ser desafetada Valor Econômico, 22/2, Brasil, p.A4.
  O início das operações do projeto "Volta Grande", que prevê a mineração de ouro abaixo da barragem da usina de Belo Monte, foi suspenso ontem por decisão da Vara Agrária e Juizado Especial Ambiental de Altamira. No processo ajuizado contra a empresa canadense Belo Sun, que é a dona do projeto, e o Estado do Pará, a defensora pública agrária, Andreia Barreto, afirma que existem inúmeras comunidades rurais afetadas diretamente pelo empreendimento. "Há a falta de regularização fundiária, conflitos agrários e proximidades com a extração ilegal de madeira", declarou Andreia. "A justiça agrária de Altamira confirma mais uma ilegalidade do processo de Belo Sun. A decisão encoraja outros tribunais para declarar a nulidade integral do processo de licenciamento", disse Biviany Rojas, advogada do Instituto Socioambiental (ISA) OESP, 22/2, Economia, p.B6.
  
 

Geral

 
  Causa de notáveis surtos no litoral brasileiro até o início do século 20, a febre amarela está prestes a dar uma volta no tempo, com consequências imprevisíveis. Com o atual surto, e a aparição de casos no Espírito Santo, o vírus se instala na Mata Atlântica em área com grande parcela da população não imunizada. Intervenções no meio ambiente estão entre as hipóteses estudadas por especialistas para explicar a expansão da febre amarela pelo país. Segundo Márcia Chame, da Fiocruz, há indícios de que o desmatamento influencie o surto atual. Isso porque muitos casos ocorreram ao redor de fragmentos de mata. Em ambientes com menos diversidade, explica, espécies que sobrevivem tendem a ser melhores transmissoras de doençasFSP, 22/2, Cotidiano, p.B1.
  Bisneta de um cacique da tribo fulniô, de Pernambuco, a atriz e produtora Úrsula Corona passou um mês em Palmas, capital do Tocantins, no fim de 2015, onde registrou toda a preparação e etapas dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Durante os oito dias de competição, que reuniu mais de três mil atletas vindos de 23 países de cinco continentes, ela apresentou links direto do evento para o SporTV. A empreitada vai render ainda um documentário para o cinema e gerou a série "Jogos Mundiais dos Povos Indígenas". Em cinco episódios, o programa estreia hoje, no Canal Brasil, às 20h45m O Globo, 22/2, Segundo Caderno, p.5.
  "Um decreto do município de São Paulo, de 1989, que diz que é proibido subir ou escrever em árvores e correr no gramado(!!). Em Belo Horizonte uma portaria de 2013 veda 1subir em árvores ou nelas amarrar redes'. Que mal pode ter uma criança subir numa árvore? É a criança que sobe em árvore, brinca com formiga, corre atrás de passarinho e coleciona flores e folhas que vai lutar para proteger a fauna e flora quando crescer. Esta ligação motora e emotiva é fundamental para conectar-nos com a natureza. Famílias que escolhem levar para praças e parques a confraternização e brincadeira da garotada, em vez de se enfurnarem num shopping, têm que ser aplaudidas e incentivadas, e não constrangidas", artigo de Tasso Azevedo O Globo, 22/2, Opinião, p.19.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: