quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017


A Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgaram uma avaliação detalhada sobre a regeneração da Mata Atlântica no estado de São Paulo. E revelou que uma área maior que a das cidades de Santo André e São Caetano juntas foi regenerada entre 1985 e 2015.
Tal processo de regeneração se deve tanto a causas naturais, quanto induzidas por meio do plantio de mudas de árvores nativas.
Valparaíso foi o município que apresentou mais áreas regeneradas no período avaliado seguido da cidade de Castilho, Quatá, Catanduva e Teodoro Sampaio. Confira no link a regeneração ocorrida nos municípios: clique aqui.
A Mata Atlântica cobria originalmente 69% da área de São Paulo. Hoje, restam apenas 13,7% desse total. Dos 645 municípios paulistas, 574 têm ocorrência da Mata Atlântica.
O Estado de São Paulo tem seis municípios na lista dos 100 que mais desmataram neste mesmo período. A área total desmatada por eles corresponde ao ao município de Ilhabela. Em contrapartida, desde 2013 São Paulo está na lista dos estados no nível de desmatamento zero – com menos de 100 hectares, ou 1 km2, de desflorestamento.
O levantamento integra o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica – que monitora a distribuição espacial do bioma – e tem patrocínio de Bradesco Cartões e apoio da Arcplan.
facebookinstagramtwitteryoutube

Nenhum comentário: