segunda-feira, 11 de abril de 2016


Queridos amigos da Avaaz, 

Dezenas de caçadores fortemente armados entraram em um parque nacional da República dos Camarões e mataram mais de 600 elefantes para arrancar suas presas.Traficantes de presas criminosos como estes já aniquilaram metade dos elefantes que restam na África Central, sem que ninguém conseguisse detê-los.

Até agora!

Em decorrência do trabalho de investigadores corajosos que se passam por caçadores em redes ilegais de oito países africanos, 1.200 traficantes já foram presos!

É um trabalho tão inspirador que já ganhou prêmios, mas não conta com financiamento suficiente. Muitos doadores têm receio de bater de frente contra o crime organizado. Diante desse impasse, a nossa comunidade está em uma posição perfeita para ampliar, rapidamente, esta operação extraordinária.

Quatro elefantes são mortos por hora. Estamos correndo contra o tempo para não perder para sempre esses animais tão bonitos. Se cada um de nós fizer uma doação agora, a equipe de investigadores pode ser expandida para mais países, colocando ainda mais chefões e funcionários públicos corruptos atrás das grades. Ao mesmo tempo, poderemos fazer campanhas para salvar essas belas criaturas que sofrem abate em escala industrial.

Nenhum outro trabalho apresenta um índice de sucesso tão bom! Colabore agora : 


A carnificina acontece em todo o continente africano e usa o seguinte modo de operação: primeiro, caçadores de aluguel rastreiam elefantes, leopardos, macacos e vários outros tipos de criaturas ameaçadas de extinção. Em seguida, os mandachuvas chegam de helicópteros, portando armas pesadas, para abater os animais e arrancar suas peles e presas. O negócio, que rende 19 bilhões de dólares ao ano, é comandado por máfias internacionais, que conseguem sair impunes porque subornam todos os que encontram pelo caminho.

Agora, os corajosos ativistas da rede Eco-Activists for Governance and Law Enforcement (EAGLE)* estão agindo em cada etapa da cadeia do crime organizado, infiltrando investigadores à paisana em gangues, trabalhando com a polícia para supervisionar detenções e garantindo a prisão dos chefes das quadrilhas.

O sucesso sem precedentes rendeu ao grupo elogios da Interpol e da organização WWF, mas até agora esses heróis trabalham com um orçamento minúsculo, sendo basicamente movidos por um profundo amor por esses animais. Se todos nós doarmos uma pequena quantia, eis o que poderíamos fazer:

  • Ajudar a treinar e a apoiar dezenas de investigadores à paisana para que sejam infiltrados em mais países e nas redes de caça mais procuradas, a fim de colocar seus comandantes atrás das grades;
  • Apoiar investigações contra funcionários públicos e políticos que atuam como cúmplices, e que permitem o comércio sangrento;
  • Executar campanhas de impacto destacando detenções e julgamentos para desafiar a cultura da impunidade; e
  • Investigar e expor empresas e governos que lucram com a venda de marfim e de outros produtos provenientes do tráfico de animais selvagens.

Poucos de nós estaríamos dispostos a arriscar nossas vidas para salvar outras espécies da ganância e crueldade humanas. Podemos, porém, facilmente apoiar o trabalho de guerreiros que já estão fazendo exatamente isso. Vamos usar o poder da nossa comunidade para dar a eles o merecido apoio. Clique para doar agora: 


Nossa comunidade sempre apoiou a coragem de ativistas que se encontram na linha de frente, fazendo trabalhos perigosos, porém cruciais, desde jornalistas cidadãos na Síria até voluntários na crise causada pelo vírus ebola. Apoiamos as ideias mais brilhantes e que podem ter o maior impacto, concentrando especialmente naquilo que ninguém mais faria. Vamos apoiar esses heróis agora, para que as belas savanas e florestas africanas possam ser populadas novamente com uma próspera vida selvagem, como devem ser.

Com esperança e determinação, 

Alice, Alex, Iain, Patricia, Spyro, Joseph, Nataliya, Emily, Ricken e toda a equipe da Avaaz. 

*Ativistas Ecológicos pela Governança e Cumprimento da Lei (em tradução livre) 

Mais informações:

Número de elefantes em África continua a diminuir devido à caça furtiva (RTP) 
http://www.rtp.pt/noticias/mundo/numero-de-elefantes-em-africa-continua-a-diminuir-devido-a-caca-furtiva_n900743 

As cinco atividades do crime organizado que rendem mais dinheiro no mundo (BBC) 
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/04/160331_atividades_crime_organizado_fn

Mais de cem mil elefantes foram mortos em apenas três anos, alerta ONU (ONU) 
https://nacoesunidas.org/mais-de-cem-mil-elefantes-foram-mortos-em-apenas-tres-anos-alerta-onu/ 

Grupo de conservação africano com missão incomum: aplicação da lei (New York Times) (em inglês)
http://www.nytimes.com/2015/10/13/science/african-conservation-group-with-unusual-mission-enforcement.html 

Nenhum comentário: