sábado, 30 de abril de 2016

AGAPAN, PORTO ALEGRE,RS : 45 anos de atividades



No próximo sábado, 30, a entidade estará recebendo amigos na Feira dos Agricultores Ecologistas (FAE) do bairro Bom Fim, das 10h ao meio-dia.

No dia 27 de abril, associados, amigos e simpatizantes da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) se reuniram para confraternizar celebrar os 45 anos da primeira entidade ambientalista do Brasil, fundada em 1971.

Todos foram recebidos pelos dirigentes da Agapan. O vice-presidente, Roberto Rebes Abreu, fez a saudação inicial aos homenageados e aos demais presentes em nome da Diretoria Executiva, repassando o recado do presidente da entidade, Leonardo Melgarejo, que não pode comparecer em função de compromissos fora do estado. 

Confira, abaixo, trecho da saudação.
No mundo contemporâneo, todos sabemos que os desafios que nos são impostos pela complexidade são enormes. Além disso, em todos os níveis nos quais atuamos, parece não menos evidente que a democracia, tão cara aos nossos ideais, está ameaçada.

As lutas dos ambientalistas, em todas as sociedades civilizadas, são o mais importante domínio de intervenção democrática no mundo globalizado dominado pela ciência e pela tecnologia. No entanto, com uma preocupante frequência, não lhes tem sido dada a vos que o respeito exige e a ética impõe.

Apesar disso, resistimos. E, é importante dizer, resistimos por birra e por um sonho: tornar a vida possível e posicioná-la, sempre, no local que lhe é de direito: em primeiro lugar.

... é vida

Na ocasião, também foi lançada a campanha "... é vida", que deverá fazer parte das ações da entidade ao longo deste ano. A campanha foi inspirada na máxima defendida pela Agapan: "A vida sempre em primeiro lugar". Com a iniciativa, a entidade pretende abrir e identificar o seu conceito sobre "vida" e aproximar-se ainda mais da cidadania e das pessoas que lutam por um modelo social baseado na ecologia integral e na sustentabilidade ambiental.

"Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria."
Da esquerda: Caio Lustosa, Roberto Rebes, Mirian Ângela e Francisco Milanez

"Mila", como é conhecido entre os amigos o arquiteto e biólogo Francisco Milanez, ex-presidente e atual conselheiro da Agapan, foi um dos homenageados durante o encontro. Ao lado do advogado Caio Lustosa e da geógrafa Lia Luz Livi, também homenageados, recebeu uma placa em agradecimento à contribuição feita à entidade por mais de três décadas contínuas. 

O trecho destacado acima faz parte da letra da canção Monte Castelo, que a banda Legião Urbana criou inspirada na epístola Coríntios 13, do "Apostolo dos Gentios", codinome pelo qual Paulo de Tarso chegou a ficar conhecido em sua época. Ela trata do amor, o mesmo sentimento puro e primoroso citado por Mila durante seu discurso de agradecimento. "Nesse momento de tanto ódio sendo semeado, tantos radicalismos e maniqueísmos estúpidos, eu gostaria de lembrar que todas as pessoas que eu conheci que lutavam realmente pelo meio ambiente, eram movidas por amor", disse Milanez. Ele também falou sobre momentos de lutas pelos quais participou junto à associação. "A Agapan é uma entidade que, desde o início, não se deixou levar por discursos fáceis", afirmou. "A entidade sempre estudou as questões com profundidade e se posicionou de forma difícil e complicada", concluiu. Ele citou exemplos de lutas, como o difícil posicionamento para evitar que crocodilos fossem soltos no sistema lagunar do Litoral Norte, ameaçando a fauna típica do Rio Grande do Sul; a participação da associação na criação do Plano de Manejo de Fernando de Noronha e a iniciativa pioneira de defesa da Amazônia. 

Às futuras gerações

Caio Lustosa, um dos mais combativos associados da Agapan, já integrou a Diretoria da entidade e defendeu as causas ambientais no exercício da vereança na Capital gaúcha. Ele dedicou a homenagem recebida às novas gerações. "Ao invés de receber essa honrosa homenagem, como um galardão, eu a transfiro para as novas gerações, principalmente para que mantenham aceso esse espirito de indignação e rebeldia em relação ao sistema capitalista explorador que alicerça a história desse país", pontuou Lustosa durante o seu seu discurso de agradecimento à honraria recebida. "Temos que aprofundar a nossa rebeldia e a nossa visão de futuro, no qual não sejamos escravos de um sistema perverso como este; que vivamos em um sistema que permita a convivência harmônica com o ambiente natural, evitando a exploração que avassala o nosso país", concluiu, sob aplausos e abraços dos presentes.

A geógrafa e professora Lia Luz Livi também não pode comparecer ao evento, mas recebeu a homenagem pelas mãos da amiga Miriam Ângela, integrante da Diretoria Executiva da Agapan.

Também estiveram presentes a vereadora Fernanda Melchiona, a ex-deputada federal Luciana Genro, o ex-secretário da Smam Mauro Moura, entre outros simpatizantes da Agapan.

Fonte: Imprensa Agapan

Nenhum comentário: