quarta-feira, 28 de março de 2018



Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA


HOJE:
Água, Amazônia, Belo Monte, Energia, Mares e Oceanos, Mineração, Povos Indígenas, Violência
Ano 18
28/03/2018


Direto do ISA



ISA, organizações e movimentos sociais lançam plataforma de pressão pública contra a cana na Amazônia

Mesmo adiada no dia de ontem (27/03) após muita pressão, a votação do Projeto de Lei que libera o plantio de cana na Amazônia pode acontecer a qualquer momento. O avanço da monocultura é uma grave ameaça à floresta e coloca em risco a imagem dos biocombustíveis do Brasil - Direto do ISA, 28/3.

Acampamento Terra Livre 2018 acontece de 23 a 27 de abril

Data da maior mobilização indígena do país está confirmada. Leia a convocatória da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) - Direto do ISA, 28/3.

 


Amazônia



Projeto que permite plantio de cana na Amazônia tem votação adiada

Foi adiada mais uma vez a votação do projeto que autoriza o plantio de cana-de-açúcar em áreas já alteradas e nas áreas do bioma Cerrado e dos campos gerais situadas na Amazônia Legal. O texto (PLS 626/2011) é polêmico porque, apesar do potencial econômico apontado pelos seus defensores, críticos alegam que há riscos ambientais - Agência Senado, 27/3.

Como empresas produtoras de açúcar e ambientalistas se uniram contra plantio de cana em áreas da Amazônia

Artistas como Caetano Veloso e Marisa Monte publicaram protestos em seus perfis de Instagram: "Absurdo! O Senado quer aprovar o plantio de cana na Amazônia. Mobilização Já!". No Twitter, ONGs ambientalistas usam a hashtag #AmazôniaemCana. Até aí, nada de novo. Mas a oposição a um projeto de lei que libera o plantio de cana-de-açúcar em áreas da Amazônia legal conseguiu também o apoio de empresas produtoras de açúcar e de etanol no Brasil - BBC, Brasil, 27/3.

Cicatrizes na floresta

Uma vasta região no sul da Floresta Amazônica, antes entendida como desabitada durante o período pré-colombiano, abrigou inúmeros povos no passado, revela estudo publicado nesta terça-feira na revista "Nature Communications". Numa faixa que se estende por 1.800 quilômetros, ocupando uma área de 400 mil quilômetros quadrados, já foram identificados cerca de 600 geoglifos — figuras geométricas feitas no chão por humanos — de diferentes formas e tamanhos, que comprovam a ocupação permanente do terreno. E os pesquisadores acreditam que existam mais vestígios escondidos pela densa floresta - O Globo, 28/3, Sociedade, p.30; FSP, 28/3, Ciência, p.B5.

 


Povos Indígenas



Senadores pedem ação do governo para pacificar colonos e índios em Rondônia

Os senadores Ivo Cassol (PP-RO) e Valdir Raupp (PMDB-RO) pediram nesta terça-feira (27) que o governo federal atue para resolver os conflitos entre assentados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e indígenas da comunidade Uru-Eu-Wau-Wau, no norte do estado. A falta de consenso sobre os limites entre os assentamentos e a área indígena demarcada tem gerado tensão. A questão foi tema de audiência pública nesta terça-feira (27) na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) - Agência Senado, 27/3.

Mobilização defende os direitos indígenas e resiste aos retrocessos

O Fundo Brasil acaba de lançar uma nova etapa da campanha “2018 Com Todos os Direitos”, em que o destaque é a defesa dos direitos dos povos indígenas. - Fundo Brasil de Direitos Humanos, 27/3.

 


Belo Monte



Belo Monte instala grades em turbinas para evitar morte de peixes

Depois de causar a morte de dezenas de toneladas de peixes em suas várias etapas de construção no Rio Xingu, no Pará, a hidrelétrica de Belo Monte foi obrigada a adotar uma nova medida para acabar, de vez, com a mortandade das espécies causada pelas operações da usina. Em caráter de urgência, a concessionária Norte Energia, dona da hidrelétrica, vai instalar painéis nas bocas de cada turbina, uma grade que deverá impedir que os peixes entrem nas máquinas ou que sejam triturados pelas hélices, quando estas são acionadas - OESP, 26/3, Economia & Negócios.

 


Biodiversidade



Atividade humana já afetou 75% da superfície terrestre do planeta

A degradação do solo provocada por atividades humanas ameaça o bem-estar de 3,2 bilhões de pessoas, a sobrevivência de espécies animais e vegetais e intensifica as mudanças climáticas. Além disso, contribui para o aumento dos conflitos e para a migração em massa, alerta relatório divulgado nesta segunda-feira (26) pela Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES, na sigla em inglês), órgão ligado às Nações Unidas. Estimativas apontam que menos de 25% da superfície terrestre do planeta ainda resiste a impactos substanciais e, até 2050, esse percentual será de menos de 10% - O Globo, 28/3, Sociedade, p.30.

 


Energia



Etanol e elétrons

"O futuro do transporte está na eletrificação. O motor a combustão está com os dias contados. No Brasil, isso faz ainda mais sentido, considerando que 80% de nossa matriz elétrica são renováveis. Mas a troca de toda a frota circulante demorará décadas, e o Brasil tem uma condição única para fazer esta transição: reduzir as emissões da frota já existente a partir de políticas e estímulos ao uso dos biocombustíveis. Ao mesmo tempo, será necessário a indústria sucroalcooleira do Brasil se adaptar para se transformar numa indústria bioquímica e bioenergética, substituindo a petroquímica e a geração termoelétrica com combustíveis fósseis. Isso é a cara da nova economia", artigo de Tasso Azevedo - O Globo, 28/3, Opinião, p.21.

Energia limpa tem potencial para suprir alta da demanda

A demanda por eletricidade no país crescerá quase 200% em 30 anos, segundo estimativa do Ministério de Minas e Energia. E o Brasil, sobretudo o Nordeste, tem potencial para suprir parte do consumo com energia solar e eólica - FSP, 28/3, O Futuro do Nordeste, p.2.

 


Água



Fortaleza tem projeto para dessalinizar água do mar

A dessalinização da água do mar para fins potáveis, alternativa usada por países sob estresse hídrico como Israel e Austrália, começa a ser considerada para regiões metropolitanas brasileiras. Fortaleza é a primeira capital com um projeto para produzir até mil litros de água por segundo por meio de dessalinização até 2020, o que ajudaria a dar sobrevida ao açude Castanhão, que abastece a Grande Fortaleza e está com sua capacidade abaixo de 4% - FSP, 28/3, O Futuro do Nordeste, p.3.

 


Mineração



Vídeo da audiência pública sobre o caso vazamento da Hydro está disponível no YouTube

A força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) publicaram no YouTube vídeos com a filmagem integral da audiência pública sobre o vazamento de rejeitos da refinaria de alumina Hydro Alunorte, em Barcarena (PA), realizada no último dia 22 - MPF, 27/3.

 

OUTRAS NOTÍCIAS

Como enfrentar o sangue dos dias
PF prende suspeitos de incêndio em prédios públicos em Humaitá
Mulheres indígenas de Brasil e Canadá discutem direitos e participação política em Brasília
MPF/ES pede liberação de passagem de índios por fazenda em Aracruz
Ideflor-bio revisa a lista de espécies ameaçadas de extinção no Pará
Netflix do dia #013: 'Primeiro contato: Tribo perdida da Amazônia' (2016)
Moradores das Ilhas Galápagos combatem a maré de plástico


Nenhum comentário: