segunda-feira, 12 de março de 2018

Merendeiras da Bahia usam produtos da caatinga em receitas

Cerca de 150 merendeiras de Salvador e Lauro de Freitas, na Bahia, aprenderão a utilizar produtos nativos da caatinga para preparar as refeições que são oferecidas na rede pública de ensino. Profissionais começam neste mês (9) um curso oferecido pelo governo estadual e inspirado pelas atividades do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), agência da ONU que realiza ações para combater a miséria no semiárido brasileiro.
Em cerimônia inaugural na capital baiana na semana passada (1º), a merendeira Rosinele Marques defendeu que “cozinha é inovação”. “Preparar alimentos é sinônimo de criatividade, experimentação e cuidado. Este curso chega para nos trazer mais qualidade profissional, o que é uma oportunidade ímpar, já que a nossa classe dificilmente tem essa chance”, afirmou.
Voltada para profissionais das redes municipal e estadual, a formação abordará o conteúdo do livro Mesa Farta no Semiárido – Receitas com produtos da Agricultura Familiar, publicado pelo Programa Semear do FIDA e reeditado com o apoio do Pró-Semiárido, outro projeto da agência da ONU, em parceria com o governo baiano. Serão realizadas aulas quinzenais até julho, somando 400 horas de capacitação.
O Semear é uma iniciativa de gestão do conhecimento em zonas semiáridas do Nordeste do Brasil. O objetivo da programa é facilitar e promover o acesso a conhecimentos, estratégias inovadoras e boas práticas que possam ser adotados e replicados pela população rural. Fonte ONUBr (#Envolverde)

Nenhum comentário: