terça-feira, 3 de novembro de 2015

“Holocausto indígena e ecocídio” é o tema do próximo Agapan Debate


Evento será realizado no dia 9 de novembro, às 19h, na Fabico/Ufrgs.(mapa)





Holocausto = Homicídio metódicode grande número de pessoas, especialmente judeus e outras minorias étnicas, executados pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial. (Priberam) 

Ecocídio = Destruição metódica de um ecossistema ou de uma comunidade vegetal ou animal.(Priberam)


  




O Brasil não foi descoberto em 1.500. Mas foi nessa época que teve início o holocausto indígena brasileiro, executado por europeus que aqui chegaram. Desde então, os índios brasileiros pedem socorro, mas suas vozes são abafadas por uma sociedade governada por políticos corruptos e empresários inescrupulosos – do campo e da cidade – capazes de quaisquer atrocidades para ampliar seus planos comerciais, baseado num modelo de sociedade capitalista, sanguinolenta e ecocída.

Brasil 2015 

Mais de 500 anos se passaram, os assassinatos se multiplicam e, cada vez mais, as terras brasileiras são manchadas com o sangue de nossos índios, povos originários do Brasil. A cobiça pela posse dessas terras para a expansão da área agrícola tem motivado os assassinatos de muitos indígenas (holocausto) e a destruição de nossos ecossistemas florestais e de nossa biodiversidade. (ecocídio).  



Imagem: Reprodução da internet



Índios brasileiros pedem socorro.
Brazilian Indians ask for help.
Indígenas brasileños piden ayuda.
Indianer Brasiliens um hilfe bitten.
Les Indiens du Brésil demander de l'aide.
Indiani brasiliani chiedere aiuto.
Brasilianska indianer be om hjälp.
Indians Brasaíle a iarraidh chun cabhair.
巴西的印第安人尋求幫助。
ブラジルのインド人は助けを求めます。
Индейцы Бразилии обратиться за помощью.
سرخپوستان برزیل برای کمک بخواهید.

(Traduções: Google)





A Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural, sensível a esses gritos de socorro, pauta o seu último Agapan Debate de 2015 com o tema “Holocausto indígena e ecocídio” para ajudar a ampliar as vozes de nossos índios e da natureza, que clamam, aterrorizados, por ajuda e proteção.


Debatedores

Vherá Poty - cacique da aldeia Mbya-Guarani Pindó Mirim, de Itapuã - Viamão

José Cirilo Pires - cacique da aldeia Mbya-Guarani da Lomba do Pinheiro - Porto Alegre

Prof. Dr. José Otávio Catafesto de Souza - Doutor em Antropologia Social pela Ufrgs. Professor adjunto do Departamento de Antropologia da Ufrgs desde 1995. Atualmente, é consultor e pesquisador na produção de relatórios de caracterização e delimitação de comunidades quilombolas (Macaco Branco, Portão; Paredão, Taquara) a fim de reconhecimento de regularização fundiária pelo Incra.

Título da Palestra: Recrudescimento da Violência sobre Indígenas no Brasil Atual: Cosmoecologia dos Guardiões Originários da Terra em Enfrentamento às Forças Destrutivas do Homo Econômicus em sua fundamentação Cosmológica Utilitária.


Mediação

Ana Maria Barros Pinto - jornalista, com especialização em Direitos Humanos (Ufrgs-ESMPU), pesquisadora indigenista. 

Venha debater conosco no dia 9 de novembro. Juntos, poderemos dar maior visibilidade à causa indígena e pensar em alternativas eficazes para ajudá-los. Entrada gratuita e universal.

Promoção:  Agapan – A vida sempre em primeiro lugar.

Serviço 

Data: 09 de novembro de 2015
Hora: 19h
Local: auditório da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Ufrgs – Rua Ramiro Barcelos, 2705, Porto Alegre - RS - mapa
  

Nenhum comentário: