quinta-feira, 26 de novembro de 2015


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA
 
 
HOJE:
Amazônia, Cerrado, Energia, Licenciamento Ambiental, Mineração, Mudanças Climáticas, Povos Indígenas
Ano 15
26/11/2015

 

Direto do ISA

 
  Leia o Editorial do ISA sobre a concessão da Licença de Operação da hidrelétrica de Belo Monte (PA) Direto do ISA, 25/11.
  Projeto prevê rito acelerado de licenciamento ambiental para projetos “estratégicos” do governo com um prazo em torno de oito meses. Ele segue agora ao plenário do Senado e à Câmara Direto do ISA, 25/11.
  Há 32 anos foi assassinado uma dos principais líderes do povo Guarani Ñandeva: Marçal de Souza Tupã'i. Até hoje, ninguém foi punido. Veja a linha do tempo feita pela equipe do Povos Indígenas no Brasil e relembre essa história Blog do Monitoramento/ISA, 25/11.
  
 

Cerrado

 
  Dados do TerraClass, projeto que mapeia o uso da terra e da cobertura vegetal no Cerrado, foram divulgados ontem pelo Ministério do Meio Ambiente. Constatou-se que 54,62% do bioma está preservado. O restante se enquadra na classe "áreas antrópicas", que inclui terras urbanizadas ou usadas para silvicultura, mineração e, principalmente, agricultura e pastagem. Goiás, o terceiro Estado sobre o qual mais incide a área contínua de Cerrado (329.600 km²), tem menos da metade do bioma preservado - 42%. Mato Grosso do Sul já desmatou 68% do bioma, que totaliza 216 mil km². O alto índice de urbanização de São Paulo leva a um índice de 81% de desmatamento, embora a área de cobertura seja menor, de 81.100 km² OESP, 26/11, Metrópole, p.A27.
 
A região mais devastada do Cerrado é a conhecida como Matopiba, localizada entre os estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Nos quatro estados, foram registrados 66% do desmatamento total do bioma. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, houve uma aumento de 12% no desflorestamento comparado ao levantamento do ano anterior O Globo, 26/11, Sociedade, p.32.
  
 

Mineração

 
 
A Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou ontem, em turno único, um projeto de lei do governador Fernando Pimentel (PT) que modifica o Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema) e acelera a análise de grandes empreendimentos de mineração, apesar de procurar proteger o entorno dessas áreas. Há 20 dias, Minas foi cenário de uma das maiores tragédias ambientais e minerais do País, com a queda de uma barragem de rejeitos de minério de ferro da empresa Samarco em Mariana OESP, 26/11, Metrópole, p.A27.
  Especialistas da ONU cobraram publicamente o governo brasileiro e as empresas Vale e BHP para que adotem as medidas necessárias para proteção do meio ambiente e da saúde da população exposta à lama de rejeitos proveniente do rompimento das barragens em Mariana, Minas Gerais. Para a ONU, não é o "momento de uma postura defensiva" e é "inaceitável" que a informação de que havia um risco tóxico na lama tenha levado três semanas para ser divulgada OESP, 26/11, Metrópole, p.A27; FSP, 26/11, Cotidiano, p.B8.
  
 

Mudanças Climáticas

 
  A ONU anunciou ontem que os trabalhos da Cúpula do Clima, que ocorrerá em Paris, deverão começar um dia antes do previsto. "O início antecipado da sessão permitirá utilizar melhor o tempo disponível para finalizar as negociações", informou a ONU em comunicado. A Cúpula teria início na próxima segunda-feira, 30, mas os delegados representantes dos países deverão comparecer no domingo no centro de exposições Le Bourget, no norte de Paris. A inauguração oficial, na segunda, deverá contar com a presença de 150 chefes de Estado. O informe da ONU sobre a antecipação do início dos trabalhos coincide com a divulgação do comunicado de que o ano de 2015 bateu todos os recordes de temperatura no planeta OESP, 26/11, Metrópole, p.A27.
  Superar a polarização entre economistas e ambientalistas para avançar no debate de uma economia de baixo carbono. Essa foi a tônica do debate promovido na terça (24) pela Folha em parceria com o Insper e o Instituto Escolhas. No encontro, que reuniu ecólogos, ativistas e economistas, foi apresentado o estudo "Taxação sobre Carbono e Correção de Distorções Tributárias: Impactos Econômicos, Sociais, Ambientais no Contexto Brasileiro", liderado pelo economista Bernard Appy. Nações tão díspares como Reino Unido, África do Sul, México e Japão estão adotando a via tributária para pôr um preço nas emissões de carbono FSP, 26/11, Caderno Especial, p.1 a 4.
  
 

Geral

 
  Há artistas maiores que a sua arte - ainda que seu trabalho, ao longo da vida, tenha uma dimensão inegável. Este parece ser o caso de Claudia Andujar, húngara radicada desde os anos 1950 no Brasil, e que se notabilizou pelo registro e documentação dos índios yanomami, extenso e importante projeto iniciado nos anos 1970 - e que frutificou na demarcação de suas terras, em 1992, pelo governo brasileiro. É este recorte de sua trajetória que ganha uma celebração à altura no Instituto Inhotim, em Brumadinho, com a inauguração hoje de um pavilhão permanente dedicado à fotógrafa O Globo, 26/11, Segundo Caderno, p.8.
  A três dias de embarcar para Paris, onde participará da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP-21), a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse em entrevista que, sozinha, não tem como solucionar os problemas causados pelo rompimento da barragem de rejeitos de minério em Mariana. Ela também afirmou que, apesar estar vivendo o maior desastre ambiental de sua história, o Brasil exercerá um papel de destaque nas negociações O Globo, 26/11, Sociedade, p.32.
  
 
Imagens Socioambientais

Nenhum comentário: