quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Estudo mostra que chá verde e cacau protegem contra complicações causadas por diabete


Em testes realizados com modelos experimentais e culturas de células, o chá verde e o cacau mostraram-se positivos na prevenção ou reversão da nefropatia e retinopatia diabéticas (fotos: Wikimedia Commons)

Por José Tadeu Arantes | Agência FAPESP
Os efeitos benéficos do chá verde e do cacau, como antioxidantes e anti-inflamatórios, têm sido bastante difundidos. O Projeto Temático Efeitos do chá verde (Camellia sinensis), do cacau e de um doador de óxido nítrico na nefropatia e retinopatia diabética: papel da redução do estresse oxidativo e da inflamação e do aumento do óxido nítrico, apoiado pela FAPESP, demonstrou que esses dois produtos podem atuar também como coadjuvantes na prevenção ou no tratamento de complicações renais ou da retina decorrentes do diabetes:
“Partimos da hipótese de que esses produtos poderiam ser benéficos por reduzir o estresse oxidativo e a inflamação e aumentar a taxa de óxido nítrico (NO), que é um vasodilatador cuja presença se encontra diminuída no quadro diabético. Então, estudamos separadamente os efeitos do chá verde, do cacau e de um doador de óxido nítrico. E constatamos benefícios reais tanto do chá verde quanto do cacau.
A pesquisa gerou 10 artigos científicos em revistas especializadas”, disse Jose Butori Lopes de Faria, professor titular de Nefrologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador do projeto à Agência FAPESP.
Os estudos relativos à retina foram coordenados pela oftalmologista e pesquisadora da Unicamp Jacqueline Mendonça Lopes de Faria.
A pesquisa utilizou modelos experimentais (camundongos e ratos) com diabetes induzido. E também culturas de células (de camundongos e humanas) expostas a alta concentração de glicose para mimetizar o diabetes. Foram descritos diversos mecanismos de lesão dos rins ou das retinas e a reversão do quadro por meio do chá verde ou do cacau.
“Além de seu conhecido efeito antioxidante e anti-inflamatório, demonstramos, de forma rigorosa, que o chá verde faz diminuir a morte programada (apoptose) dos podócitos, as células que formam a barreira que restringe a passagem de proteínas do sangue para a urina. A passagem de albumina para a urina é a principal alteração renal do indivíduo diabético”, informou o pesquisador.
Os efeitos benéficos tanto do chá verde quanto do cacau são atribuídos à presença de polifenóis: no caso do chá verde, à epigalocatequina-galato, e, no caso do cacau, à epicatequina. Em colaboração com o químico Marcelo Ganzarolli de Oliveira, professor titular do Departamento de Físico-Química do Instituto de Química da Unicamp, os pesquisadores fizeram a caracterização química dos produtos, confirmando a presença das referidas substâncias por meio de cromatografia de alta pressão e espectrometria de massa.
Mas o surpreendente foi que o cacau atuou de forma positiva mesmo quando eliminado o polifenol. “Para investigar o efeito da epicatequina, utilizamos dois tipos de cacau. Um, rico na substância; outro, do qual a substância tinha sido retirada. E, a despeito do que supúnhamos, também este último apresentou efeito protetor contra as complicações associadas ao diabetes. Isso jamais havia sido descrito pela literatura especializada. Então, escrevemos um trabalho afirmando que a teobromina, que é uma metil-xantina, talvez fosse responsável pelo efeito. Posteriormente, foram publicados outros estudos corroborando nossa opinião”, afirmou Lopes de Faria.
Já existe uma expressiva literatura científica sobre os efeitos benéficos do chá verde e do cacau. Segundo o pesquisador, dois estudos recentes precisam ser citados. O primeiro é uma meta-análise, publicada no British Journal of Nutrition, cobrindo uma amostragem com centenas de milhares de indivíduos e mostrando que o consumo de chá verde apresenta proteção em relação a múltiplas causas de mortalidade e doença cardiovascular.
outro é um artigo, publicado no The Journal of the American Medical Association (JAMA), demonstrando que mesmo o consumo diário de apenas um quadradinho de chocolate com alta concentração de cacau já produz uma redução significativa na pressão arterial sistólica.
Publicações resultantes do projeto
  1. Peixoto EB,et al. Reduced LRP6 expression and increase in the interaction of GSK3β with p53 contribute to podocyte apoptosis in diabetes mellitus and are prevented by green tea. J Nutr Biochem.2015 Apr;26(4):416-30. doi:10.1016/j.jnutbio.2014.11.012.
  2. Duarte DA, et al. Polyphenol-enriched cocoa protects the diabetic retina from glial reaction through the sirtuin pathway. J Nutr Biochem. 2015 Jan;26(1):64-74. doi:10.1016/j.jnutbio.2014.09.003.
  3. Papadimitriou A, et al. Theobromine increases NAD+/Sirt-1 activity and protects the kidney under diabetic conditions. Am J Physiol Renal Physiol. 2015 Feb 1;308(3):F209-25. doi:10.1152/ajprenal.00252.2014.
  4. Rosales MA, et al. Endocytosis of tight junctions caveolin nitrosylation dependent is improved by cocoa via opioid receptor on RPE cells in diabetic conditions.Invest Ophthalmol Vis Sci. 2014 Sep 4;55(9):6090-100. doi:10.1167/iovs.1414234.
  5. Papadimitriou A, et al. Increase in AMPK brought about by cocoa is renoprotective in experimental diabetes mellitus by reducing NOX4/TGFβ-1 signaling. J Nutr Biochem.2014 Jul;25(7):773-84. doi:10.1016/j.jnutbio.2014.03.010.
  6. Rosales MA, et al. S-nitrosoglutathione inhibits inducible nitric oxide synthase upregulation by redox posttranslational modification in experimental diabetic retinopathy. Invest Ophthalmol Vis Sci. 2014 May 2;55(5):2921-32. doi:10.1167/iovs.13-13762.
  7. Silva KC, et al. Green tea is neuroprotective in diabetic retinopathy.Invest Ophthalmol Vis Sci. 2013 Feb 15;54 (2):1325-36. doi:10.1167/iovs.12-10647.
  8. 8: Faria AM, et al. Uncoupling endothelial nitric oxide synthase is ameliorated by green tea in experimental diabetes by re-establishing tetrahydrobiopterin levels. Diabetes. 2012 Jul;61(7):1838-47. doi:10.2337/db11-1241.
  9. Ribaldo PD, et al. Green tea (Camellia sinensis) attenuates nephropathy by downregulating Nox4 NADPH oxidase in diabetic spontaneously hypertensive rats. J Nutr. 2009 Jan;139(1):96-100. doi:10.3945/jn.108.095018.
  10. Tata A, et al. Spatial distribution of theobromine–a low MW drug–in tissues via matrix-free NALDI-MS imaging. Drug Test Anal. 2014 Sep;6(9):949-52. doi:10.1002/dta.1691.

in EcoDebate, 25/11/2015

Nenhum comentário: