sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Ativista tem técnica inovadora para impedir a caça de ursos e lobos

06 de novembro de 2015 

(da Redação da ANDA)
Rod Conorado e sua equipe filmam caçadores e documentam o uso de iscas e de armadilhas. (Créditos: Wolf Patrol)
Rod Conorado e sua equipe filmam caçadores e documentam o uso de iscas e de armadilhas. (Foto: Wolf Patrol)
Rod Coronado passa a maior parte do tempo dele atravessando o norte de Wisconsin. O caminhão camuflado dele ajuda ele a se misturar com os caçadores que desprezam ele.
Sendo um desportista, Coronado não estava andando pelo Parque Nacional de Chequamegon-Nicolet para caçar com arco e flecha. Na verdade, ele está de olho em outros caçadores
De acordo com uma matéria do City Pages, o ativista de direitos animais fundou a Wolf Patrol, uma organização focada principalmente na preservação do lobo grisalho no Meio Oeste americano. A missão do Wolf Patrol de Wisconsin faz vigilâncias e pesquisas, e tem irritado caçadores e legisladores.
“Queremos documentar e ver que as pessoas que cometem violações ao meio ambiente e aos animais sejam processadas,” explica Coronado.
O cidadão de 49 anos leva em suas viagens uma equipe de quatro pessoas que ele chama de “Monitorização de cidadãos”. A equipe filma caçadores e documenta o uso de iscas e de armadilhas. A caça de ursos com cães e iscas tem um foco particular. Ele explica que outros animais, incluindo lobos grisalhos são condicionados a procurar por caixas de armadilhas. Em uma área que ele monitorou durante uma caça de ursos que aconteceu nesse ano, Coronado disse que sete cães de caças – treinados apenas para perseguir – foram assassinados quando pegos pelos lobos.
As táticas do Wolf Patrol irritaram caçadores e um legislador de Wisconsin propôs uma lei que faria com que seja ilegal filmar ou tirar foto de caçadores, ou tentar impedir a caça. Em uma audiência pública que aconteceu na semana passada, dois representantes acusaram o grupo de assediar os caçadores, esperando fora da casa deles para segui-los, e fazendo barulhos que incomodavam a caça.
Coronado nega as acusações e disse que o objetivo dele não é interferir ou ser confrontador. Ele disse que ele mantém uma distância respeitável e não segue os caçadores na floresta, observando da estrada.
Infelizmente, os Estados Unidos têm costume de caçar ursos, entre outros animais. Há uma semana, aANDA noticiou uma caça que aconteceu na Florida que matou cerca de 300 ursos.

Nenhum comentário: