quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Pelotas derruba seus "mimosos" !!!! MASSACRE CONTRA ÁRVORES !!!!

Pela lei municipal, "as árvores de domínio público são imunes ao corte, não
podendo ser derrubadas, podadas, removidas ou danificadas, salvo nos casos
expressos em lei."

E quais são esses casos? "Quando seu estado fitossanitário justificar;
quando a árvore constitua, em especial na via pública, obstáculo fisicamente
incontornável ao acesso de veículos e não seja possível tecnicamente outra
alternativa ou; quando causar danos irreparáveis ao patrimônio público ou
privado e não seja possível tecnicamente outra alternativa". Todos com
prévia anuência do órgão ambiental municipal, no caso a Secretaria Municipal
de Qualidade Ambiental (SQA). Claro, também nos casos de "calamidade pública
e emergência", esses sem prévia anuência, por certo.

Então as árvores nas praças e calçadas, entre outros espaços públicos, estão
protegidas pela lei e a SQA deve atuar nessa direção. É o caso do chamado
Jacarandá-mimoso, uma das árvores mais belas, dizem muitos!!!!

Considerada de porte pequeno a médio, com uma floração propriamente dita
exuberante, que pode ser apreciada por durante toda a primavera, perde suas
folhas no inverno, e suas raízes não são agressivas.

É uma árvore de crescimento rápido e rústica, resistente à poluição urbana
moderada e à maioria das enfermidades, não necessitando de manutenção (sem
custo) e menos ainda de poda, aliás, como maioria absoluta das árvores,
nesse último aspecto.

Assim, por todas essas características, o Jacarandá, de excelente madeira, é
uma também é uma adequada opção para a arborização urbana, inclusive em
calçadas!!!!

Em Pelotas/RS alguns poucos embelezam a paisagem urbana, como na Av. Brasil,
no Bairro Simões Lopes e no Centro.

Contudo, apesar de belos e poucos, agora existem menos ainda. É que vários
foram cortados na zona central. Alguns, no início desse mês, em frente a uma
instituição de ensino, por "conflito com a calçada" (Foto abaixo). Outros,
na última terça (11.10), por conflito o patrimônio histórico (Foto acima).

O patrimônio histórico que pode ser escondido por um prédio novo qualquer,
ou até ser derrubado para se transformar em garagem a céu aberto, não pode
(ora bolas!) ser embelezado pelo jacarandá, que, no caso já era parte
integrante da paisagem, ou seja, o patrimônio histórico e o patrimônio
ambiental já formavam um conjunto harmônico, não só pelo tempo que estavam
juntos (décadas), mas também pelo cenário que formavam.

Não é a primeira vez, em Pelotas, que derrubam-se árvores em nome do
patrimônio histórico. Recentemente a Praça central da cidade, a qual se
localiza em frente ao prédio em questão, teve várias árvores arrancadas "em
nome do patrimônio histórico", bem como as árvores da calçada em frente ao
prédio do imponente Grande Hotel, também defronte a Praça em questão e
também um prédio tombado.

É verdade que já faz alguns anos que vozes ligadas a "cultura" defendiam a
derrubada dos mimosos. Pois conseguiram. Os Jacarandás não fazem mais parte
da paisagem, que, não há como negar, perdeu grande parte de sua beleza.


**************************

FONTE : OngCEA - Centro de Estudos Ambientais, cidade de Rio Grande, RS.
CENTRO DE ESTUDOS AMBIENTAIS - CEA
Desde 1983, o coletivo pela sustentabilidade!!!!
Fundado em Rio Grande - RS
Fone-fax:(53) 84150066 (51) 81623307
email: ongcea@gmail.com
Blog: http://centrodeestudosambientais.wordpress.com/
Twitter: @CEAong

Nenhum comentário: