quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Atenas, Paris, Madrid e Cidade do México sem veículos a diesel até 2025

Por Redação da Envolverde*
Veículos a diesel serão removidos de Paris, Cidade do México, Madri e Atenas até 2025, como parte de um esforço sem precedentes de seus prefeitos para melhorar a qualidade do ar para seus cidadãos. Essas cidades pioneiras também se comprometeram a incentivar veículos alternativos e a promover as infra-estruturas necessárias para pedestres e ciclistas. O compromisso foi feito durante a Cúpula de Prefeitos do C40 na Cidade do México. Em todo o mundo, 3 milhões de mortes por ano estão ligadas à exposição à poluição do ar ao ar livre de acordo com a Organização Mundial da Saúde, com a grande maioria dessas mortes ocorrendo em cidades.
“Os prefeitos já se levantaram para dizer que a mudança climática é um dos maiores desafios que enfrentamos”, lembrou Anne Hidalgo, prefeita de Paris e nova presidente do C40 Cities Climate Leadership Group. “Hoje, também nos levantamos para dizer que não toleramos mais a poluição do ar e os problemas de saúde e as mortes que ela causa – particularmente para os nossos cidadãos mais vulneráveis. Grandes problemas como a poluição do ar exigem ações ousadas e pedimos aos fabricantes de carros e ônibus que se juntem a nós “.
“Não é nenhum segredo que na Cidade do México, nós lidamos com os problemas irmanados da poluição do ar e do tráfego”, disse o prefeito da Cidade do México, Miguel Ángel Mancera. “Ao expandir as opções alternativas de transporte, como o Bus Rapid Transport e sistemas de metrô, ao mesmo tempo em que investimos em infraestruturas de ciclismo, estamos trabalhando para aliviar o congestionamento de nossas rodovias e de nossos pulmões”.
Perseguir políticas que melhorem a qualidade do ar – descarbonizando os sistemas de transporte e promovendo opções alternativas de transporte – também ajuda as cidades a cumprir a meta do Acordo de Paris.
92% da população mundial vive em locais onde os níveis de poluição atmosférica excedem o patamar seguro da OMS para a poluição do ar. Foto: Shutterstock
92% da população mundial vive em locais onde os níveis de poluição atmosférica excedem o patamar seguro da OMS para a poluição do ar. Foto: Shutterstock

“A qualidade do ar que respiramos em nossas cidades está diretamente ligada à luta contra as mudanças climáticas”, destaca a prefeita de Madri Manuela Carmena. “À medida que reduzimos as emissões de gases de efeito estufa gerados em nossas cidades, nosso ar ficará mais limpo e nossos filhos, nossos avós e nossos vizinhos serão mais saudáveis”.
“Nosso objetivo é acabar com todos os carros do centro de Atenas nos próximos anos”, disse o prefeito Giorgos Kaminis. “Apoio a ambição ambiciosa da Declaração da Qualidade do Ar e exorto os nossos parceiros do governo nacional a Implementar seus compromissos com base nos acordos internacionais de ação climática e unir nosso esforço comum para limpar o ar que respiramos “.
Durante a cúpula de prefeitos, o C40 anunciou uma parceria de dois anos com a Johnson & Johnson, que vai apoiar os programas climáticos do grupo que também trazem co-benefícios para a qualidade do ar e a saúde humana. Através da pesquisa e da educação, a parceria ajudará a conectar os pontos entre o o ar e o clima melhores e benefícios de saúde mensuravelmente melhores em áreas urbanas vulneráveis.
O C40 anunciou também que se unirá à Organização Mundial da Saúde e à CCAC – Climate and Clean Air Coalition da ONU, em apoio à campanha BreathLife para reduzir pela metade os 6,5 milhões de mortes causadas pela poluição atmosférica até 2030. A campanha global apoiará os governos municipais a reduzir as emissões nocivas dos setores de transportes, dos resíduos e da energia, bem como a mobilizar a ação dos cidadãos para reduzir a poluição atmosférica e, simultaneamente, retardar as alterações climáticas.
“92% da população mundial vive em locais onde os níveis de poluição atmosférica excedem o patamar seguro da OMS para a poluição do ar. A fuligem dos veículos a diesel está entre os grandes contribuintes para os problemas de saúde e o aquecimento global. Mas temos muitas soluções que funcionam”, disse Helena Molin Valdés, Chefe do CCAC. “Trabalhando com as cidades do C40 e outros parceiros, podemos ajudar  identificar e implementar as soluções mais eficazes para melhorar rapidamente a qualidade do ar e alcançar o objetivo da BreatheLife de reduzir para metade as mortes causadas pela poluição atmosférica até 2030”. (#Envolverde)

* Com informações da Agência Aviv. 

Nenhum comentário: