quarta-feira, 25 de outubro de 2017


Resumo diário de notícias selecionadas
dos principais jornais, revistas, sites especializados e blogs,
além de informações e análises direto do ISA


HOJE:
Amazônia, Áreas Protegidas, Biodiversidade, Cidades, Clima, Energia, Mineração, Populações Tradicionais, Povos Indígenas, Queimadas, Trabalho Escravo, Zona Costeira, Política Socioambiental
Ano 17
25/10/2017


Áreas Protegidas



Verba de unidades de conservação pode cair mais de 50%

O governo federal poderá cortar em 2018 metade das verbas destinadas às unidades de conservação, de acordo com uma comparação entre os projetos de lei do orçamento dos anos de 2017 e de 2018. O estudo foi realizado pela WWF-Brasil e pela Associação Contas Abertas e leva em conta a versão inicial do projeto de lei do orçamento para o ano que vem. O orçamento previsto para o Ministério do Meio Ambiente é de R$ 3,278 bilhões -cerca de meio bilhão a menos do que em 2017 e 29% menor do que a média da última década. E o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) pode ter de amargar 52% menos verba em 2018 - FSP, 25/10, Ciência, p.B11; OESP, 25/10, Metrópole, p.A18.

Incêndio destrói 22% do Parque da Chapada dos Veadeiros, em Goiás

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, uma das mais importantes unidades de conservação do Cerrado, está sendo consumido pelas chamas, no que já é considerado o pior incêndio de sua história recente. Em uma semana, o fogo, classificado pela direção do parque como criminoso, já devastou mais de 54 mil hectares - ou 22% da área total. E, até a noite de ontem não dava sinais de que estava controlado. Com uma visitação de cerca de 60 mil pessoas por ano, o parque teve seus limites triplicados em junho pelo governo federal, passando de 65 mil hectares para 240 mil hectares. A comunidade do entorno e pesquisadores que atuam na região suspeitam que o fogo possa ter sido uma forma de retaliação contra a ampliação do parque - OESP, 25/10, Metrópole, p.A18; FSP, 25/10, Cotidiano, p.B7.

 


Política Socioambiental



Liminar do STF suspende portaria do trabalho escravo

Decisão liminar da ministra Rosa Weber ainda terá de passar pelo plenário do Supremo. E decisão da Justiça do Trabalho do Distrito Federal obriga governo a divulgar a lista suja dos empregadores que sujeitaram trabalhadores à condição análoga à da escravidão, sob pena de serem multados em caso de descumprimento - O Globo, 25/10, Economia, p.25; FSP, 25/10, Mercado, p.A17; OESP, 25/10, Economia, p.B3.

Quem faz mais pelo clima na América Latina?

Desde que Acordo de Paris passou a valer, mexicanos saem na frente na luta contra mudanças climáticas. Pequenos e disciplinados, Chile e Costa Rica também são destaque. Mas Brasil, maior poluidor, se afasta da meta - Deutsche Welle, 24/10.

Homem-legenda lê o artigo de Temer

"Depois de ser amplamente e justamente fustigado pelo seu pacto de sangue com a bancada ruralista, o presidente Michel 3% Temer resolveu pagar de verde. Publicou na Folha de S.Paulo um artigo enaltecendo as supostas conquistas de seu governo na área ambiental. Para lembrar que Temer ainda é o presidente que patrocina o maior ataque ao meio ambiente da história da redemocratização (e isso concorrendo com um páreo duríssimo, Dilma Rousseff), anotei aqui o que o homem dos 3% não disse em seu texto", artigo de Claudio Angelo - Science Blogs, Curupira, 23/10.

Multas verdes

"Temer assinou decreto permitindo a conversão de multas em investimentos para recuperação ambiental, com descontos de 35% a 60% nos valores devidos. São duas modalidades, direta e indireta. Na primeira, o proprietário autuado auferirá abatimento de 35% se realizar ele próprio os trabalhos de restauração. Os benefícios oferecidos, sobretudo na segunda modalidade, parecem excessivos. Ter perdoados seis décimos da multa pode também ser visto como um prêmio para quem desmata ou comete outros abusos ambientais. Suscita dúvidas, ainda, a variante do investimento direto. Embora o nível de abatimento seja mais aceitável, a limitação do Ibama para monitorar a efetiva recuperação ambiental, se a adesão for grande, pode fazer do mecanismo uma espécie de anistia", editorial - FSP, 25/10, Editoriais, p.A2.

 


Geral



Morador de bairro nobre vive 24 anos a mais

Na cidade de São Paulo, uma distância de 19 quilômetros separa os moradores que vivem mais daqueles que morrem mais cedo. Quem mora no Jardim Paulista, área nobre da zona sul, vive em média 24 anos a mais que um residente do Jardim Ângela, bairro do extremo da mesma zona sul. Nos Jardins, um paulistano morre, em média, aos 79,4 anos. Já quem mora no Jardim Ângela vive até os 55,7. A disparidade foi revelada no Mapa da Desigualdade de 2017, estudo da Rede Nossa São Paulo apresentado ontem. "É inadmissível viver em uma cidade com quase 25 anos de diferença de vida. Não tem cidade que possa ser saudável, viável e razoável de se viver com essa distância toda", disse Américo Sampaio, da Rede Nossa São Paulo - OESP, 25/10, Metrópole, p.A22; FSP, 25/10, Cotidiano, p.B6.

Aneel aprova segundo leilão de linhas de transmissão para dezembro

A Aneel aprovou, o edital do leilão para construção de novas linhas de transmissão de energia elétrica e subestações. O certame está previsto para ocorrer no dia 15 de dezembro. Entre os lotes, estão duas linhas que serão usadas no escoamento da energia gerada na usina de Belo Monte, no Pará. Uma das linhas, com valor de investimento estimado em R$ 2,7 bilhões, será construída entre o Tocantins e o Pará. Outro lote, cuja linha vai de Tocantins à Bahia, é parte da solução de escoamento de energia de Belo Monte para a região Nordeste e transmissão do potencial eólico previsto na região Nordeste - O Globo, 25/10, Economia, p.21.

Novo desabamento na Praia da Macumba

Na madrugada desta terça-feira, a Praia da Macumba, no Rio, voltou a sofrer com os efeitos de uma forte ressaca, que engoliu os dois metros de pista que restavam no local e derrubou parte da parede de uma das casas em frente à orla. Há dez dias, a água já havia levado o calçadão e derrubado até um quiosque, mas, apesar de os moradores da região terem ficado muito assustados, a prefeitura havia informado que a estrutura das residências não corria riscos - O Globo, 25/10, Rio, p.13.

É fogo

"Nas últimas décadas, a incidência, a abrangência e a intensidade dos incêndios florestais estão aumentando ao redor do mundo. O ano de 2017 tem dado uma amostra dos impactos alarmantes que se esperam das mudanças climáticas. É urgente nos prepararmos para enfrentar esta realidade. No Brasil, o primeiro passo é zerar, de uma vez por todas, o desmatamento e a degradação florestal e promover a restauração das áreas críticas. Assim, reduziremos o combustível para o fogo (tanto pela redução de emissões quanto pelo ambiente menos seco) e aumentaremos a formação de nuvens e as chuvas, tão fundamentais para nossa agricultura e nossa saúde", artigo de Tasso Azevedo - O Globo, 25/10, Opinião, p.19.

'Não somos pautados pela Samarco', diz Roberto Waack

Em entrevista, Roberto Waack, responsável por fundação que deve reparar estragos da tragédia de Mariana afirma que acordos serão cumpridos. A Fundação Renova é bancada por Samarco e suas controladoras (Vale e BHP), mas Waack não vê ingerência. "A governança é muito mais ampla", diz - FSP, 25/10, Cotidiano, p.B8.

 

Nenhum comentário: