quinta-feira, 19 de outubro de 2017

AquaRio é a primeira instituição do Brasil a receber a certificação em Bem-Estar Animal

Certificado é emitido pela Sociedade Brasileira de Zoológicos e Aquários (SZB), em parceria com a Wild Welfare Worldwide, uma das mais respeitadas instituições que preconizam o bem-estar animal no mundo


AquaRio
Foto: Juliana Moutinho Alvim

Bons Aquários e bons zoológicos pelo mundo têm um papel ainda pouco conhecido do grande público, mas fundamental na conservação das espécies, nas pesquisas e na educação ambiental. É perseguindo este objetivo que o AquaRio acaba de se tornar o primeiro equipamento do país a receber o certificado de Bem-Estar animal emitido pela Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB), em parceria com a Wild Welfare Worldwide, uma das mais respeitadas instituições do mundo que certifica melhores práticas adotadas para o bem-estar dos animais que vivem em zoológicos e aquários.
— Todos os procedimentos e inspeções realizadas no AquaRio pela SZB, em parceria com a Wild Welfare, são baseadas nos protocolos e na literatura que é atualmente relevante, levando em consideração a questão da ética no tratamento dos animais — destaca Claudio Maas, presidente da SZB.
Em pouco mais de dez meses e meio de operação, o AquaRio já recebeu mais de 1,2 milhão de visitantes e realiza um sério trabalho de educação. Cerca de 1,5 mil crianças visitam o equipamento todos os dias, durante o período letivo. No Centro de Pesquisa Científica, que funciona dentro do espaço, 16 pesquisas inéditas em parceria com as principais universidades do país — UFRJ, UERJ, UFF, USU e UCB — já estão em andamento (dois pós-doutorados; cinco doutorados, quatro mestrados e cinco monografias, no total).
— Atualmente, existem 110 zoológicos e 40 aquários em funcionamento no Brasil. Muitos, infelizmente, ainda não seguem os protocolos de Educação, Pesquisa e Conservação, e não oferecem boas condições e bom tratamento pautados pelo respeito à vida e ao bem-estar dos animais. A chancela de uma instituição assim serve para “separar o joio do trigo” e dar tranquilidade aos nossos visitantes informando que aqui no AquaRio tem respeito e amor aos animais — ressalta o biólogo marinho Marcelo Szpilman, diretor-presidente do AquaRio.
No mundo todo, há exemplos que bons aquários, como o Monterey Bay Aquarium, nos Estados Unidos; o Two Oceans Aquarium, na África do Sul; o Oceanário de Lisboa, em Portugal, além do AquaRio, todos eles trabalham em prol da valorização dos ambientes naturais. Esses equipamentos têm um importante papel de proporcionar que milhões de visitantes anuais sejam impactados positivamente em seus conceitos e atitudes, inspirando-os a fazer a diferença no mundo e, ainda, formando possíveis futuros conservacionistas do ecossistema marinho.
Recentemente, Wayne Pacelle, CEO da The Humane Society of the United States (HSUS), a maior organização de proteção animal dos Estados Unidos, publicou o artigo “Bons zoológicos podem juntos ser uma força para o bem” onde o autor afirma que o que os une aos bons Aquários e Zoológicos é o amor e a preocupação com os animais e os propósitos comuns de combater a crueldade e promover a conservação: https://blog.humanesociety.org/wayne/2017/09/hsus-top-zoos-force-for-good.html
— Tudo isso carrega ainda um componente excepcional e intangível. O poder de transformação. No momento da visita ao AquaRio, no ambiente de encantamento dos grandes e bons aquários, a vocação dos jovens poderá ser despertada. Naquele instante, algumas crianças e adolescentes serão captados para a ciência e terão sua vocação descoberta como futuros cientistas — conclui Szpilman.
Colaboração de Vanessa Rodrigues, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 19/10/2017

Nenhum comentário: