quinta-feira, 19 de novembro de 2020

ONDE HÁ DESMATAMENTO, HÁ FOGO !

James, 75% dos focos de calor detectados na bacia do Xingu neste ano incidem em áreas desmatadas recentemente, entre 2018 e 2020. Ou seja, onde há desmatamento, há fogo! Entenda mais aqui sobre o levantamento que o ISA fez. À revelia da atuação do exército e da moratória que proíbe o uso do fogo vemos os números de focos de calor aumentando e atingindo áreas desmatadas muito recentemente. É sabido que as queimadas facilitam a conversão de grandes áreas em pastagens, então fica evidente que o fogo está sendo usado para desmatar e grilar terras. Enquanto a floresta queima, as invasões e os crimes ambientais crescem. Desmatamento, incêndios, grilagem e garimpo são os responsáveis pela destruição das florestas e do meio ambiente sob a cumplicidade do governo brasileiro. A maior prejudicada é a Amazônia. De um total de 134.449 eventos de queimada mapeados pelo painel para a Amazônia do Global Fires Emission Database (GFED), 57% aconteceram no bioma amazônico. As áreas de floresta que um dia já foram úmidas o suficiente para resistir a incêndios, hoje padecem com queimadas criminosas. O painel também indica que 34% das queimadas registradas entre janeiro e a primeira semana de outubro são relacionadas diretamente com o desmatamento no bioma amazônico. Sua contribuição fortalece o trabalho pela preservação da floresta Amazônica e do Xingu. Obrigada! Quero compartilhar essa mensagem Ricardo Abad Instituto Socioambiental - ISA Mais informações sobre o ISA. Dúvidas ou comentários, ligue ou envie um whatsapp para (11) 93500 1149 e fale com Mariana Barros ou escreva para relacionamento@socioambiental.org

Nenhum comentário: