sexta-feira, 14 de junho de 2019

Animais silvestres como lazer, como estamos acabando com a nossa fauna

Essa semana está circulando na internet a polêmica PL 6268/2016, projeto que visa liberar a caça de animais silvestres, e projetos como este voltam a levantar questões sobre qual é a nossa relação com a vida animal e quão sustentável ela é para o meio ambiente.
Não apenas a caça esportiva, legal ou ilegal, pode trazer uma série de problemas para o equilíbrio ecológico, mas também outros usos de lazer são altamente prejudiciais para os animais, como o turismo selvagem.

O problema no turismo da vida selvagem

Uma ironia do turismo que tem como atração principal a vida animal, é que uma grande parte das pessoas amam estar perto deles e veem estas viagens como a oportunidade de participar da vida selvagem de uma maneira simples e rápida, sem saber o que realmente está por trás dessa cadeia.
Organizações como a World Animal Protection têm feito uma série de pesquisas e campanhas para orientação de um turismo consciente, em 2014 lançaram um relatório sobre os animais mais explorados no mundo informando sobre os bastidores das atrações, em 2018 um estudo que mostrava o problema das selfies com os animais da Amazônia ajudou na decisão do Ministério Público Federal de recomendar às empresas de turismo da região a pararem de promover o contato físico com os animais.
Mas mesmo com diversas orientações, notasse a necessidade de maior educação e esclarecimento às grandes empresas de turismo, aos pequenos agentes, comunidades que faturam com os animais, e aos turistas que têm em suas mãos o poder de decisão sobre quais atrações apoiar.

Como fazer turismo e proteger os animais selvagens

Algumas orientações básicas são fundamentais para que possamos continuar incentivando o ecoturismo e protegendo os animais selvagens:
Pesquise antecipadamente a atração
Se você vai visitar ou oferecer em seu pacote um passeio de animais selvagens, pesquise antes quais são as condições desses animais e como é a atração. Aceitar apenas a palavra do guia local de que é seguro e não machuca o animal, muitas vezes não é garantia do mesmo.
Participe apenas de atrações que os animais são soltos
O contato do ser humano com os animais, além de ter uma potencial transmissão de doença, também pode gerar machucados em ambos, já que a maior parte da vida selvagem não tem pela sua natureza o contato com os homens.
Observe e tire fotos apenas daqueles animais que estão soltos em seu habitat natural, com uma distância segura para ambos.
Respeite o ambiente deste animal
Uma vez que você está em um parque onde o animal é livre e solto, lembre de respeitar o seu espaço, caminhe com calma, não faça muito barulho, e não interfira nos seus hábitos.
Não os alimente
Outro hábito muito comum é alimentar os animais, o que pode gerar três problemas principais:
  1. o risco de oferecer comidas que possam fazer mal a eles;
  2. domesticar estes animais que podem desaprender a caçar.
  3. quando domesticados e acostumados com os humanos, eles ficam mais suscetíveis à perigos como a caça.
Quanto mais natural mais seguro
Observe sempre se o comportamento deste animal é o esperado, animais que são extremamente selvagens e caçadores devem passar por adestramento, algumas mutilações de suas garras e dentes, e até mesmo sedação para ficar perto dos homens.
Oriente e eduque
Seja você um turista, um guia/agente de turismo ou uma hospedagem, lembre-se sempre de orientar as pessoas ao seu redor para que os animais possam estar cada vez mais protegidos.
(#Envolverde)

Nenhum comentário: