quarta-feira, 28 de maio de 2014

INCRÍVEL ! Bode recupera-se de profunda depressão ao reencontrar seu melhor amigo

28 de maio de 2014

 Por Monika Schorr (da Redação da ANDA)
bode
Semana passada, o Animal Place, um dos maiores santuários americanos para animais abusados em fazendas, divulgou a história de Mr. G, um pequeno bode de coração partido que, aparentemente, havia desistido de viver. A equipe de resgate entendeu que a causa da imensa dor e apatia que acometeram Mr. G foi a separação de seu melhor amigo, um jumento chamado Jellybean. As informações são do site Care 2.
Os dois viveram juntos durante anos e acabaram separados à época em que foram resgatados de situação de negligência e maus-tratos, e acolhidos por dois santuários distintos. Mr. G foi levado pelo Animal Place para seu centro de adoção Rescue Ranch, localizado em Grass Valley, Califórnia.
Segundo o santuário, Mr. G estava inconsolável, recusando-se a comer e passando seus dias deitado imóvel em um canto do recinto onde estava acomodado, sempre de cabeça baixa. Nem os mimos, nem os petiscos que recebia surtiram efeito na tentativa de fazer com que ele se alimentasse ou que se movesse.
Depois que a possibilidade de problemas de saúde foi descartada, tornou-se óbvio para o grupo de resgate que Mr. G estava enlutado pela perda de seu companheiro. Decidiu-se, então, que os dois amigos deveriam ser reunidos novamente. Um dos voluntários viajou durante 14 horas, entre ida e volta, para trazer Jellybean ao Rescue Ranch.
Eis a descrição do encontro entre os dois:
“Quando Jellybean entrou na baia que acomodava Mr. G, este não podia acreditar no que seus olhos estavam vendo. Ele parecia tão surpreso, que olhou duas vezes, e foi só quando sentiu o aroma característico de Jellybean, que Mr. G acreditou que era verdade que seu mais querido amigo havia voltado.
Mr. G levantou-se com ímpeto renovado, resfolegando e farejando o odor da presença de Jellybean e correu atrás dele para o gramado ao ar livre. O momento mágico desse encontro foi quando Mr. G começou a comer na mesma tigela onde estava o alimento oferecido a Jellybean!”

A história de Mr. G e Jellybean é mais uma entre tantas que ensinam a profundidade dos sentimentos dos animais não humanos e fazem com que as pessoas lembrem que não são as únicas criaturas dotadas de personalidades distintas capazes de experimentar uma vasta gama de emoções e de estabelecer fortes vínculos de amor e amizade com outros seres.
Os dois amigos serão moradores vitalícios do Animal Place. Os voluntários do local esperam que a história de Mr. G e Jellybean ajude os visitantes e as pessoas em geral a compreender a riqueza e a qualidade da vida emocional dos animais não humanos.
Até agora, o Rescue Ranch resgatou, encaminhou para adoção ou abrigou de forma permanente, 13.351 galinhas, 25 perus, 6 ovelhas, 7 porcos, um pato e 16 cabras. Esse é um enorme número de animais para lidar e encaminhar para uma vida digna, mas representa apenas uma ínfima parcela de todos os animais que são criados e mortos nas fazendas industriais a cada ano.
Milhões de vacas, porcos, galinhas, ovelhas e tantos outros animais que nascem neste mundo são confinados, geneticamente modificados, mutilados e privados da companhia de amigos e família, além de submetidos, sistematicamente, às mais diversas torturas e abusos, porque são considerados por muitos, criaturas “irracionais” e “menos inteligentes que os humanos” ou, como queria Descartes, “máquinas sem alma”.
Histórias da vida animal, como a de Mr. G e Jellybean, entre tantas e tantas outras, sensibilizarão as pessoas para o fato de que animais são indivíduos, e não mercadorias para servir de alimento, vestuário ou diversão.
Para honrar as vidas de Mr. G e Jellybean e o afeto indestrutível que os une, o santuário Animal Place pede a todos que divulguem essa linda história para, dessa forma, ajudar a despertar a consciência dos humanos sobre a vida emocional dos animais.
Espera-se que essa consciência leve à compaixão pelos milhões de animais tiranizados e escravizados e que a compaixão seja demonstrada através da recusa em consumir produtos de origem animal.


Nenhum comentário: